Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

10 novembro 2021

Moro se filia ao Podemos, critica Lula e defende fim da reeleição



O ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro se filiou ao partido Podemos, nesta quarta-feira (10), durante evento realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. A filiação abre caminho para sua pré-candidatura à Presidência da República nas eleições de 2022 pela chamada “terceira via”.



Em um auditório lotado, Moro falou como presidenciável, relembrando de sua carreira e da atuação no combate à corrupção. Durante o discurso, ele fez alusão ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “O Brasil foi roubado como nunca foi antes na história deste país. Meu objetivo ao entrar no governo era melhorar a vida das pessoas”, disse.



Em meio aos problemas econômicos e outros desafios enfrentados durante a pandemia, ele continuou a fazer referência ao ex-presidente Lula. “Desde o governo Lula o desemprego aumentou e não parou mais”, ressaltou. 



Sobre o governo de Jair Bolsonaro, o candidato à Presidência criticou o enfraquecimento do combate à corrupção, mas sem citar o nome do atual presidente. “A corrupção ainda existe e enfraqueceram os mecanismos para combatê-la.”

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, que se filiou ao Podemos nesta quarta-feira (10)

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, que se filiou ao Podemos nesta quarta-feira (10)

FABIO RODRIGUES POZZEBOM/ AGÊNCIA BRASIL

O discurso de Sergio Moro contemplou ainda, em primeira mão, a primeira grande proposta para um eventual governo. Se eleito, ele anunciou a criação de uma agência de combate à fome. Por fim, ele defendeu o fim da reeleição: “O presidente está em permanente campanha política”, destacou.


Sergio Moro finalizou o discurso falando sobre os motivos que o levaram a ingressar na carreira política. “A gota d’água foi quando encontro um estudante nos Estados Unidos que perguntou: 'Moro, é verdade que [você] abandonou o Brasil?'. Foi um tiro no meu coração”, lembrou. 


Deputados, senadores, a presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, e o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que também é apontado como pré-candidato à Presidência, estiveram no evento. A presença do governador de São Paulo, João Doria, era esperada, mas ele avisou que não participaria por conta de compromissos em São Paulo.


Por Mariana Londres, do R7 em Brasília

Nenhum comentário: