Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

25 agosto 2021

Randolfe Rodrigues recebeu doação de campanha em 2018 do atual chefe de gabinete



O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) recebeu doação de R$ 2 mil durante a campanha de 2018 do seu atual chefe de gabinete, Charles Chelala. Além disso, empresas fornecedoras durante sua candidatura ao Senado em 2018 foram contratadas para prestar serviços ao parlamentar depois de eleito, pagos com dinheiro público.


De acordo com informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a empresa Eco Serviços realizou pesquisas eleitorais para o senador durante a campanha de 2018 por R$ 26.208,00.


Em 2019, a Eco recebeu R$ 29.222,00 por ter realizado uma “consultoria na área de pesquisa socioeconômica”, segundo informações da prestação de contas do parlamentar.


Um levantamento feito pelo portal R7 apontou que a empresa realizou uma pesquisa em julho deste ano pelo valor de R$ 15 mil.


Entre os fornecedores da campanha ao Senado em 2018, a produtora Set Filmes foi a que recebeu a maior quantia, R$ 561.151,59, incumbida de fazer os programas de televisão do então candidato.


No entanto, em julho deste ano, a empresa produziu uma campanha intitulada “Onde tem Trabalho, tem Randolph”, pela qual recebeu R$ 16.300,00.


Outros fornecedores de campanha, como a gráfica RMR de Almeida e a Aerotop, que fretou avião para o candidato na campanha, também prestaram serviços ao gabinete do político após a eleição.


Na prestação de contas do Senado, consta que foi feito fretamento aéreo usando a aeronave Sêneca III prefixo PT-RYT no dia 8 de maio, um sábado. O valor pago foi de R$ 8.900,00. As informações são da Revista Oeste.


O analista político Ítalo Lorenzon destacou, no Boletim da Manhã desta terça-feira (24), a forma como a grande imprensa trata o assunto quando as suspeitas pairam sobre pessoas próximas ao presidente da República.


“Rachadinha agora pela grande imprensa deixou de ser crime capital e voltou a ser uma falta administrativa. Era crime capital quando a acusação pairava sobre a cabeça do filho do presidente”, pontuou.


Terça livre

Nenhum comentário: