Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

25 agosto 2021

Eike Batista disse ter pago ministros do STF e ex-presidentes?



Eike Batista  corrompeu a cúpula dos três poderes da República? Uma declaração dele sobre o assunto, citada em artigo na internet, movimentou as redes sociais e aplicativos de mensagens nos últimos dias. Eike teria declarado que pagou valores para ministros do Supremo Tribunal Federal(STF), três ex-presidentes da República(Lula, Dilma e Temer), um ex-presidente do Senado(Renan Calheiros) e um ex-presidente da Câmara dos Deputados(Rodrigo Maia).


A declaração é citada em texto de Ipojuca Pontes, jornalista e cineasta que foi secretário nacional de Cultura do governo Collor. O texto traz ainda outra declaração creditada a Eike Batista, que, segundo Ipojuca, foi transcrita do jornal Inconfidência: "Eu, Eike Batista, vos chamo de ladrões de pátria corruptos, e sou capaz de provar. São todos juizes covardes, e quero ver coragem para mandarem me prender".


Eike Batista, que já foi considerado o homem mais rico do Brasil e o oitavo mais rico do mundo, na verdade, já foi preso. Em 2017, Eike teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Marcelo Brêtas, acusado de envolvimento no pagamento de propinas durante a gestão de Sérgio Cabral no Governo do Rio de Janeiro, no âmbito da Operação Lava Jato.


Atualmente, o empresário cumpre prisão domiciliar, por decisão do Supremo Tribunal Federal. A fortuna dele, que chegou a 34,5 bilhões de dólares, ruiu com a queda de até 95% no valor das ações de algumas de suas empresas e a falência de outras. Parte dos bens dele foi a leilão.


O MonitoR7 consultou os advogados do empresário, para confirmar as declarações atribuídas a ele. Em nota, Eike afirma que tomou conhecimento de que o nome dele vinha sendo usado em ataques políticos ao STF e seus ministros e que nunca havia feito aquelas declarações como aquelas. Ele ainda afirma, na nota, que o STF é "um importante pilar da democracia, sem o qual não viveríamos num Estado Democrático de Direito".


 A busca pela publicação original, que teria sido transcrita por Ipojuca Pontes, foi inviabilizada, porque no endereço do jornal Inconfidência na internet a última edição impressa a que se tem acesso é a de abril de 2016. Na página inicial, um dos destaques é a notícia sobre as vaias que a então presidente Dilma Rousseff recebeu na abertura da Copa das Confederações, em 2013.


Consultado, Ipojuca Pontes nos orientou a procurar o responsável pelo jornal, para ter acesso ao artigo que ele teria transcrito. Ele nos passou o e-mail do diretor do jornal, o coronel reformado Carlos Cláudio Miguez. Enviamos mensagem para o endereço fornecido, mas não recebemos resposta.


Hoje(25), no final da tarde, o site "Diário do Poder", onde o artigo de Ipojuca Pontes foi publicado, adicionou o seguinte aviso, antes do texto: "O texto abaixo, de autoria do jornalista e cineasta Ipojuca Pontes, foi alvo de montagem falsa nas redes sociais. O Diário do Poder também fez uma verificação das alegações e não encontrou confirmação dos fatos narrados".


R7

Nenhum comentário: