Plantão

Compre no AMAZON

Os Melhores Preços no AMAZON

30 abril 2021

Ministro das Relações Exteriores classifica a China como ‘Parceiro-Chave’ do Brasil

O novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, embaixador Carlos Alberto Franco França, participou nesta quarta-feira (28) de uma audiência na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.

A reunião solicitada pelo presidente do colegiado, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), tinha como objetivo ouvir o embaixador sobre as prioridades da pasta para o ano de 2021, além de outros temas relacionados à política externa brasileira.

Durante a sessão Carlos França declarou que a principal pauta de sua gestão será o trabalho em torno da “urgência da pandemia, a urgência da economia e a urgência do desenvolvimento sustentável.”

Ao discursar sobre a crise na saúde, o ministro afirmou “estar pessoalmente engajado na nossa diplomacia da saúde” e citou a China como “parceiro-chave nessa matéria.”

“A China é, ninguém ignora, outro parceiro-chave nessa matéria. Em conversa telefônica com o Ministro dos Negócios Estrangeiros Wang Yi, fiz dois pedidos: que apoiasse a aquisição pelo Brasil de 30 milhões de doses da vacina da Sinopharm, para entrega ainda no segundo trimestre deste ano; e que nos auxiliasse no fornecimento de IFAs com vistas à produção no Brasil de um total de 60 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca. Nosso diálogo foi muito positivo”, afirmou.

Ainda de acordo com o chanceler brasileiro, o ministro chinês se comprometeu a “a fazer todo o possível para cooperar.”

Em sua fala o ministro ainda declarou que tem negociado apoio também com a Índia, os Estados Unidos, Israel e a Rússia.

Na manhã desta quarta-feira (28), o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, fez uma publicação em seu perfil no Twitter, na qual sinalizou sua proximidade com o novo ministro do governo Bolsonaro.

“Nesta manhã, conversei, por telefone, com o Chanceler brasileiro Sr. França.  Concordamos em reforçar ainda mais a confiança política mútua num ambiente sadio e amigável, implementar os consensos entre os chanceleres, e continuar a nossa parceira de vacinas”, disse Wanming.

O antecessor de Carlos França no Ministério das Relações Exteriores foi o ex-ministro Ernesto Araújo, que saiu da pasta após denunciar o lobby chinês pelo 5G no Brasil, camuflado pela narrativa das vacinas.

“Foi só o Ernesto Araújo sair, que a ‘coisa’ já muda”, pontuou o jornalista Allan dos Santos durante o Boletim da Noite dessa quarta-feira (28), ao analisar a proximidade dos líderes chineses com o novo ministro das Relações Exteriores.

O jornalista ainda observou que aparentemente, a China tem feito seu “puxadinho” no Governo Brasileiro.

Terça Livre

Nenhum comentário: