Plantão

"SARCASMO"; Procuradora e Moraes rirem até na hora do julgamento: “Sacuda a cabeça de ovo dele”; Veja Vídeo!



A vice-procuradora Geral da República, Lindôra Araújo, teve que se conter para segurar a risada, durante leitura de sua sustentação oral favorável à condenação do deputado federal Daniel da Silveira, na última quarta-feira (20), durante julgamento da Ação Penal 1044, no Supremo Tribunal Federal (STF).


O fato ocorreu no momento em que lia parte da fala de Daniel, exposta no vídeo de fevereiro de 2020, que o levou a ser acusado de agressões contra os membros do Supremo, preso, perseguido, ter os direitos políticos suspensos e, enfim, receber a esdrúxula e inconstitucional pena de quase 9 anos de prisão, entre outras punições.


“É inconcebível no estado democrático de direito que alguém instigue, que nos dizeres do réu, diga: o povo entre dentro do STF, agarre o Alexandre de Moraes pelo colarinho dele, sacuda a cabeça de ovo dele e o jogue dentro de uma lixeira”, diz Lindôra, enquanto sorri e quase cai na gargalhada.

A cena, entretanto, é ainda mais emblemática, pelo fato de que Alexandre de Moraes também sorria, sem conseguir disfarçar.


A ‘troca’ denotou a devida cumplicidade e externou que, sim, estavam condenando um parlamentar por suas piadas, ou por sua bravatas, como bem disse o ministro Kassio Nunes Marques, que levou em conta essa questão, para justificar seu solitário voto pela absolvição do parlamentar.


De fato, é quase impossível segurar o riso, ao ouvir o trecho da frase “sacuda a cabeça de ovo dele”, mas não deveria ser, para quem se diz tão ofendido ou para quem considera esse um motivo suficiente para pisotear a Constituição Federal e distorcê-la, retirando direitos políticos e enjaulando alguém por meses.


Eles só não contavam que, no mesmo palco, havia alguém com o poder de reescrever o roteiro, sem bravatas e sem perseguições.

E que roteiro!

O indulto a Daniel Silveira, concedido no dia seguinte ao julgamento, vai permitir que continue dizendo o que pensa, siga livremente sua carreira política e usufrua de todos os direitos constitucionais que lhe são garantidos. Mas ele precisa entender que, mesmo em sua razão e, muitas vezes, externando a razão ou a insatisfação popular, não deve mais fazer piadas que o levem a chorar.


Jair Bolsonaro esperou, observou pacientemente e, na hora certa, cumpriu seu papel. O presidente foi o único que conseguiu mostrar que o Brasil precisa ser levado à sério.

Veja

  • Jornal da cidade online

Nenhum comentário: