Plantão

Máscaras de pano têm pouca filtragem contra transmissão do coronavírus pelo ar, aponta estudo



Uma pesquisa publicada nesta terça-feira (1º) aponta que as máscaras de pano não são suficientes para proteger contra a transmissão do coronavírus pelo ar. Isso porque a maior parte do ar respirado através delas não é filtrado, podendo carregar consigo partículas contendo o vírus.



Para chegar a essa conclusão, cientistas da Alemanha da Inglaterra e da França analisaram a capacidade de tecido de filtrar partículas muito pequenas, de um micrômetro – um milésimo de milímetro – de tamanho. Eles analisaram imagens 3D produzidas por microscopia para enxergar os canais de fluxo de ar.



O estudo concluiu que, para partículas com diâmetro de 1,5 micrômetros, a eficácia do tecido ficou entre 2,5% a 10%. A pesquisa foi publicada na revista "Physics of Fluids".



"As máscaras são essencialmente filtros de ar usados no rosto, que devem filtrar o maior número possível de partículas perigosas", escrevem os cientistas no estudo.



"Tecidos – como algodão – são bons para jeans, camisas e outras roupas, mas são péssimos filtros de ar”, disse o coautor Richard Sear, da Universidade de Surrey. “Então, use tecido para roupas e N95s ou FFP2s ou KF94s para máscaras”.



Várias pesquisas anteriores já haviam apontado as máscaras do tipo PFF2 – equivalentes às N95 americanas – como as mais eficazes na proteção contra a transmissão do coronavírus. Elas oferecem quase 100% de proteção contra partículas muito pequenas.



Segundo os autores, a novidade deste estudo é ser o primeiro a simular partículas passando diretamente pelas lacunas no tecido. 


Da Redação com G1

Nenhum comentário: