Plantão

"O Mal por si só, si destrói": Presidente do PSOL abre fogo contra "aliança" entre Lula e Alckmin



Os boatos de uma possível união entre o ex-presidiário Lula e o ex-governador Geraldo Alckmin, para a disputa do pleito presidencial em 2022, estão causando uma verdadeira paranóia em alguns incautos. Desta vez foi o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, que despojou toda a sua irritação contra a 'macabra' aliança.

Para o presidente do PSOL essa aproximação com Geraldo Alckmin seria uma “burrice” – opa, pela primeira vez somos obrigados a concordar com um político do PSOL.

E o psolista avança no raciocínio:

"Há um princípio que errar uma vez é humano, mas errar duas vezes já é burrice. (...)
O PT colocou como vice de Dilma, Michel Temer, sujeito que conspirou contra a presidente da República para viabilizar o impeachment em 2016. Não vejo o que Alckmin possa agregar [à campanha de Lula]."

Lula tem muitos defeitos, mas ele não é burro.

Tanto que não acredita nas pesquisas que o colocam em primeiro lugar. Por isso ele tenta agregar valores éticos à sua campanha, arrastando Geraldo Alckmin para o pântano de mentiras, processos e delações em que vive hoje.

Isso seria péssimo para o Brasil, ruim para Alckmin mas daria mais alguns segundos de fôlego para sua desgastada imagem. Para Alckmin seria um suicídio politico.

Fogo na esquerda!

  • Jornal da cidade online

Nenhum comentário: