Plantão

"A primeira vez em que receber mais dinheiro de programas sociais é maléfico"; Por Luiz Rosa da Silva

 


Não é nenhuma novidade para ninguém, que desde as eleições presidenciais de 2018 os grandes veículos de comunicação brasileiro demonstra uma antipatia com o presidente da república, que assumiu o poder executivo do nosso país em 2019. Durante as eleições, diversas investidas aconteceram com a finalidade de impedir a sua vitória, porém sem sucesso. Ao assumir o executivo as investidas aumentaram, a todo custo tentam afastá-lo do mandato criando factoide, quando não jurídico buscam por meio da criação de propagação de narrativas atribuindo rótulos, a fim de desvalorizar e denegrir a sua imagem. Foram diversos: genocida, negacionista, fascista, machista, homofóbico ...


            Esta campanha difamatória acontece diariamente. Estes veículos de comunicação utilizam a propaganda incansavelmente de minuto em minuto nas mais diversas emissoras e sites de notícias. Seus colunistas, escritores, jornalistas a todo o momento estão criando matérias, que visam exclusivamente desgastar o chefe do executivo.

          E olha que a propaganda é uma ação poderosíssima de influenciar a sociedade, pois ela “exerce sobre os indivíduos a ela expostos efeitos que vão desde a simples aquisição do produto anunciado à adesão e assimilação da ideologia social que o produz.” (Grifo meu). (Carvalho, 2014, p. 21). Neste sentido, a finalidade dos veículos de comunicação inimigos do governo federal é simplesmente fazer com que a sociedade passe a acreditar em suas narrativas independentemente se condiz ou não com a realidade criada, pois o foco é a manipulação da sociedade em prol da consecução de seus objetivos, macular a imagem de seu desafeto e descredenciá-lo perante a opinião pública.


            Com a manipulação da sociedade, passa-se a ter o controle das informações, ou seja, tudo que estes veículos de comunicação apresentam, é para ser recebido por todos como verdade incontestável e inquestionável. Assim, “o discurso publicitário é um dos instrumentos de controle social [...].” (CARVALHO, 2000, p. 17). Desta forma, o que se percebe é que as supostas “informações” veiculadas nestes veículos de comunicação possuiu um propósito bem definido, a destruição da imagem do executivo federal perante a sociedade brasileira. Arrancá-lo do poder executivo e colocar alguém que comungue com suas ideias, inclusive na seara financeira.


            Para isso existem diversas maneiras de buscar a manipulação da sociedade, que pode acontecer por meios de produção escritas dos mais variados tipos, filmes, charge, podcast, pesquisas e enquetes, dentre outros. Após a criação do material o passo seguinte é a disseminação, o compartilhamento, a exploração nos seus diversos canais televisivos, em suas plataformas digitais, para que possam atingir o maior número de pessoas possíveis.


            Um dos materiais produzidos, com o intuito de transmitir mais uma imagem negativa do presidente, que circulam nos variados veículos de comunicação, é uma pesquisa do Datafolha que menciona que a maioria do povo brasileiro não aprova a substituição do programa Bolsa família pelo programa social Auxílio Brasil. “Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (25) pelo jornal "Folha de S. Paulo" mostra que 43% dos brasileiros avaliam que o governo agiu mal ao acabar com o Bolsa Família e criar o Auxílio Brasil para substituí-lo. Outros 41% afirmam que a mudança foi positiva. (grifo meu). (fonte G1).


            Diante deste contexto, nos leva a refletir sobre os números divulgados e buscar responder alguns questionamentos para acreditar como verdadeiro o resultado da pesquisa com relação ao posicionamento dos brasileiros. Qual foi o público entrevistado pela pesquisa? Diante da perca do poder aquisitivo com a chegada da pandemia, a classe menos favorecida não estaria mais vulnerável, precisando de subsídios para prover sua subsistência? Os números refletem mesmo o posicionamento daqueles que são beneficiados com os programas sociais? Ou a pesquisa é apenas mais uma forma estratégica de manipulação da sociedade rumo a demonização do executivo federal?


            É imprescindível, mencionar o valor a ser recebido pelas famílias que se enquadrem nas regras do programa. A medida provisória nº 1076, publicada no Diário Oficial da União, institui o Benefício Extraordinário, destinado às famílias atendidas pelo Programa Auxílio Brasil. O benefício garante o pagamento mínimo de R$ 400 para todas as famílias, a partir da próxima sexta-feira (10.12). (grifo meu). (fonte: Ministério da Cidadania).               Diante desta configuração, é engano meu ou os brasileiros, de acordo com a pesquisa do Datafolha, desaprova o programa Auxílio Brasil, inclusive o aumento concedido? Pois o valor atual é muito mais do que aquele do Bolsa família.


            Uma coisa é certa, qualquer benefício que venha a contribuir com determinada classe social, certamente é um fator positivo sem sombra de dúvida, indiferentemente do que pensa o Datafolha, pois o que se percebe é uma “guerra” declarada entre os diversos setores de comunicação e o chefe do executivo. Assim, não importa o que este apresente mesmo sendo de grande valia para a população, aquele sempre procurara um método, que possa negativar a ação, bem como tentar convencer os menos esclarecidos de que as propostas são maléficas à sociedade, mesmo sendo fundamental para a vida dos mais necessitados, como o programa social Auxílio Brasil. Para os inimigos do governo federal até receber mais dinheiro de um programa social é maléfico, faz mal a população. 

 

REFERÊNCIAS

 

CARVALHO, Nelly. Publicidade a linguagem da sedução. 3ª ed. 2ª impressão São Paulo: Editora Ática, 2000.

 

O texto publicitário na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2014.


Pesquisa Datafolha. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/12/25/datafolha-brasileiro-esta-dividido-sobre-substituicao-do-bolsa-familia-por-auxilio-brasil.ghtml. Acessado em 25 de dezembro de 2021.

 

Medida Provisória amplia valor médio do Auxílio Brasil para R$ 400. Disponível em: https://www.gov.br/cidadania/pt-br/noticias-e-conteudos/desenvolvimento-social/noticias desenvolvimento-social/medida-provisoria-amplia-valor-medio-do-auxilio-brasil-para-r-400. Acessado em 25 de dezembro de 2021.

Nenhum comentário: