Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

02 novembro 2021

Adesão ao Pix cresce 639% em quase um ano de operação, mas segurança preocupa



Criado pelo Banco Central, o sistema de pagamentos instantâneos, o Pix, completa um ano no próximo dia 16. Desde a primeira operação realizada já são mais de 100 milhões de cadastros. O número de usuários cresceu 639%, passando de 13,7 milhões para 101,3 milhões de usuários em todo país, isso até o mês de setembro. Os bancos não gostaram muito do lançamento, já que perderam muito dinheiro com a chamada cesta de serviços. Anteriormente, as instituições cobravam valores variados dos clientes para realizar um DOC ou TED. Milhares de brasileiros chegavam até a sacar o dinheiro para fazer um depósito justamente para não pagar a tarifa bancária que varia, atualmente, entre R$ 10 e R$ 20. 



Além dos bancos, o Pix é um adversário contra o dinheiro vivo e os cartões de débito e crédito, já que o sistema funciona sete dias da semana, 24 horas por dia, e sem taxa para pessoa física. Diante de tantas vantagens, um problema tem deixado o brasileiro um pouco receoso: a segurança do sistema. O motorista de caminhão Marco Antônio Souza ainda tem essa desconfiança sobre o sistema. Ele reconhece que é uma grande oportunidade, mas também sabe também que é preciso tomar medidas de segurança.



“Apesar que bandido hoje não estão preocupados com isso. Se você não tiver o aplicativo é capaz de fazerem mal para quem não tem. É muito complicado. É falta de segurança pública mesmo”, afirma. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos, de janeiro a julho de 2021, os roubos com Pix aumentaram 39% no país. A entidade afirma estar em contato com o Banco Central (BC) para criar mecanismos de “rastreabilidade” das transações. No final do mês, o BC vai lançar dois novos produtos dentro do sistema Pix: o “Pix saque” e o “Pix troco”, que serão lançados no dia 29 e terão limitação de valor, que vai variar de R$ 500 durante o dia e R$ 100 entre 20h e 6h.

*Com informações do repórter Maicon Mendes

Nenhum comentário: