Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

31 julho 2021

Em 2017, TSE dava informações corretas sobre o voto impresso e auditável; Vejam algumas reportagens

Contrário à adoção do voto impresso, o Tribunal Superior Eleitoral prevê uma série de dificuldades para implementar o novo sistema no país. 

Aprovada pelo Congresso no ano de 2009 na minirreforma eleitoral, a impressão foi negada pela presidente Dilma Rousseff e acabou vetando.


Pelo novo modelo, após digitar na urna eletrônica, o eleitor poderia conferir através de uma tela de vidro o registro impresso a escolha do candidato e saberia se estava de acordo com o voto digital, que depois seria depositado numa urna física de forma automática e sem contato manual.

  

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ingressou com a ação contra o voto impresso justamente por considerar que a prática pode ferir o sigilo dos eleitores. "O sigilo é uma garantia da inviolabilidade do voto", afirmou Gurgel.

Já o advogado-geral da União, ministro Luís Inácio Lucena Adams, defendeu a Lei nº 12.034. Para ele, o voto impresso não interfere no sigilo do eleitor. "O voto não será identificado", afirmou o ministro. Ele enfatizou que o eleitor vai sair da sala de votação apenas com um comprovante de que votou. "O conteúdo do voto não fica com ele", explicou.

VEJA ABAIXO, MAIS REPORTAGENS SOBRE O TEMA

 

 Da Redação do Conceição PB Online

Nenhum comentário: