Últimas Notícias

Três estados e DF abrandam regras, e SP e RJ planejam reabrir economia

Perto de completar dois meses do primeiro caso de coronavírus confirmado no país - ocorrido em 26 de fevereiro, os estados brasileiros começam a retomar gradualmente suas atividades econômicas. Santa Catarina, Goiás, Distrito Federal e Minas Gerais já flexibilizaram parte das regras determinadas durante a pandemia da covid-19. São Paulo e Rio de Janeiro vão divulgar em breve como terá inicio a reabertura.


Em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés (PSL) anunciou na segunda-feira (20) a liberação de uma série de atividades comerciais e religiosas como medida para retomar a economia paralisada por causa da pandemia.

Com restrições, templos e igrejas foram autorizados a receber fiéis. Shopping centers, centros comerciais, galerias, restaurantes e academias também foram liberados nesta semana.

Todos os serviços, porém, vão precisar atender requisitos de distanciamento social e higienização.

"Essa retomada de atividades está sendo feita de forma responsável e calculada, inclusive com o uso de ferramentas que medem o impacto de cada movimento que o governo faz. Contamos também com a colaboração de todos os catarinenses para que sigam as regras estabelecidas, a fim de evitar o contágio", afirmou Moisés.

Para templos e igrejas, o funcionamento terá de ser no máximo com 30% da capacidade do local. Está vetada a presença de pessoas do grupo de risco da pandemia, como idosos, imunodeprimidos e imunossuprimidos.

Nos centros comerciais terá de haver um funcionário em todos os acessos para orientar consumidores a entrarem de máscara e a fazer a higienização das mãos. Os cinemas estão proibidos, assim como teatros e eventos que estimulem aglomerações.

Flexibilização em Goiás
O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), um dos primeiros a interromper as atividades de diversos setores da economia, flexibilizou as normas de funcionamento para parte do comércio no estado, mas reforça que os clientes terão obrigatoriamente de usar máscaras.

Um decreto na semana passada autorizou o funcionamento de igrejas, escolas e universidades (públicas ou privadas), concessionárias de automóveis, restaurantes e lanchonetes em postos de combustíveis e feiras livres.

Também retornam ao funcionamento salões de beleza, lava-jatos, obras da construção civil e escritórios de profissionais liberais.

Todos os locais, de acordo com o decreto, terão de oferecer álcool para higienização das mãos de clientes e funcionários.

Salões de beleza precisarão funcionar abaixo da capacidade, com no máximo 50% da sua capacidade, para evitar a proximidade dos clientes.

Nas obras pela cidade, os trabalhadores da construção civil terão horário de serviço em horas escalonadas, para evitar aglomerações.

Caiado afirmou ainda que os prefeitos poderão aumentar ou amenizar as normas determinadas pelo estado, desde que respaldados por notas técnicas da autoridade sanitária local.

DF libera lojas e escritórios
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), determinou na semana passada a reabertura de lojas de móveis e eletrodomésticos. Assim, as lojas especializadas na comercialização de itens como fogão, geladeira, cama, sofá e outros móveis para casa e escritório poderão reabrir as portas.

O governador também autorizou o retorno às atividades das instituições do Sistema S (Sesc, Senai, Sesi etc) e abranda as medidas de isolamento determinadas por Ibaneis no dia 19 de março.

Na ocasião, ele determinou o fechamento do comércio em geral, com exceção de atividades relacionadas à saúde e compra de artigos de primeira necessidade, como supermercados e padarias. Escolas e faculdades também foram proibidas de abrir.

Ibaneis liberou em 1º de abril as feiras permanentes.

O  governador afirmou ainda que está em estudo a retomada das atividades dos shopping centers.

Os estabelecimentos precisarão ter medidores de temperatura em massa e medidor de temperatura manual, além de fornecer máscaras para todos os funcionários e frequentadores.

As praças de alimentação também funcionarão de maneira diferente, sendo vetado o consumo no local.

Na quarta-feira, Ibaneis liberou o funcionamento de escritórios e profissionais autônomos das áreas de advocacia, contabilidade, engenharia, arquitetura e imobiliária.

Em Minas, regras para prefeitos
O governador Romeu Zema (Novo) anunciou, na quarta-feira (22), as regras que deverão ser seguidas pelos prefeitos já a partir da semana que vem.

O documento que detalha a reabertura gradual, batizado como “Minas Consciente”, divide os setores da economia em quatro grupos, identificados com as cores branca, verde, amarela e vermelha, de acordo com o risco de contágio e o impacto econômico de cada.

As atividades classificadas como vermelhas serão as últimas a serem reabertas.

“Não estamos relaxando. Estamos adotando medidas de segurança para que aquelas cidades que já optaram pela reabertura possam fazer isso com critério", afirmou o governador.

São Paulo, a partir de 11 de maio
No maior estado do país, São Paulo, o governador João Doria oficializou na quarta-feira (22) a retomada gradual de setores da economia a partir do dia 11 de maio.

O chamado "Plano São Paulo" prevê que de forma "gradual, heterogênea e segura" seja possível a reabertura dos setores que precisaram parar nesta pandemia. Os detalhes serão anunciados dia 8 de maio.

O governo vai levar em conta a situação da epidemia em cada região do estado, a capacidade do sistema hospitalar e a testagem em massa da população.

Cada setor que venha a ser liberado terá protocolos sanitários específicos, que poderão variar para shoppings, fábricas e escritórios, por exemplo.

"Em hipótese alguma faremos uma abertura desordenada, com flexibilização aleatória ou desrespeitando os critérios da saúde e da ciência", disse a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Será utilizado um sistema de mapeamento das regiões mais críticas, com uma escala de classificação: vermelho, amarelo e verde. Este último nível vai considerar o baixo número de casos, baixa taxa de ocupação de leitos de UTI e testes de covid-19 disponíveis.

A testagem rápida, que detecta os anticorpos e identifica quem já teve contato com o vírus, é outra base para garantir a reabertura da economia.

No Rio, shoppings e comércio de rua
O governador Wilson Witzel (PSC) estuda permitir a reabertura dos shoppings e do comércio de rua, em horários alternados e com limite de pessoas por estabelecimento.

O plano que será discutido nesta quinta-feira (23) prevê a reabertura dos grandes centros comerciais e das lojas de rua. A previsão é que se estabeleça horários alternativos para evitar a sobrecarga do transporte público.

Também está em estudo a determinação de um limite de pessoas por metro quadrado dentro de cada loja ou prestadora de serviço, com marcações no chão da distância necessária entre as pessoas.



Marcos Rogério Lopes, do R7

Comente aqui com o Facebook: