Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Mulher que desapareceu com os filhos passa a ser procurada por favorecer fuga, diz polícia

A mulher que supostamente desapareceu com os filhos de Soledade, no Agreste da Paraíba, agora está sendo procurada pela polícia por favorecimento de fuga do companheiro dela, um homem suspeito de estelionato que fugiu da Cadeia Pública onde estava sob custódia. A informação é do delegado Seccional de Solânea, Diógenes Fernandes, que acompanha o caso desde o dia 5 de junho deste ano.


De acordo com o delegado, Ana Cristina gravou um vídeo no dia 28 de junho e enviou no dia 30 do mesmo mês para uma amiga dela. Nas imagens, a mulher aparece dentro de um carro, no banco do passageiro, e com os dois filhos no banco de trás do veículo. Ana Cristina diz que está bem e que está nessa situação porque quer, depois a filha dela, de 14 anos, também confirma a versão da mãe.

Segundo Diógenes Fernandes, o vídeo só confirma o que a polícia já suspeitava. O delegado informou que as primeiras investigações não apontaram indícios de que a mulher teria sido forçada a fugir com o suspeito de estelionato, mas que ela e os filhos teriam viajado com o homem espontaneamente.

“A polícia desde o princípio realizou investigações preliminares com relação ao desaparecimento dela com os filhos, mas não chegou nem a instalar um inquérito porque essas investigações preliminares já demonstraram o contrário do que a família dela em Soledade pensa, a gente solidariza a dor da mãe de ver a filha num mal caminho desse, juntamente com os netos, mas temos as provas de que o desaparecimento não foi criminoso”, relatou o delegado.

Conforme Diógenes Fernandes, agora a mulher vai responder por favorecimento pessoal. “Ela vai responder por ter facilitado e dado apoio na fuga dele. Então a gente acredita que ela vai ter um final mais triste do que se imagina, pelo fato de que o Alan é um estelionatário por excelência e vai utilizar ela para a prática de crime, mas, portanto, ela não é inocente”, explicou.

Mãe acredita que filha e netos foram coagidos
Em depoimento à TV Paraíba na manhã desta terça-feira (2), Lourdes Oliveira, mãe de Ana Cristina, disse que não acredita nas palavras que a filha disse quando gravou o último vídeo enviado para uma amiga. Segundo a mãe, no vídeo, a filha e os netos aparentam estar sendo coagidos pelo homem.

“Ela nunca falou desse jeito com a gente, o jeito que eles falaram, com um ar de medo e de que estão sendo amedrontados. Agora é que estou ainda mais preocupada”, disse a mãe de Ana Cristina.

Família registrou desaparecimento no dia 5 junho
A Polícia Civil de Soledade, no Agreste da Paraíba, estava investigando o desaparecimento da mulher e os dois filhos dela desde o dia 5 de junho deste ano, após a família registrar um Boletim de Ocorrência. De acordo com o delegado Seccional de Solânea, Diógenes Fernandes, a mulher e os filhos estavam desaparecidos após saírem da cidade com um homem foragido da Justiça.

Conforme Diógenes Fernandes, a família de Ana Cristina de Oliveira, de 34 anos, foi até a polícia após ela deixar de manter contato com os parentes. Segundo relato da família à polícia, em maio deste ano a mulher levou o homem até a casa dos parentes e ele se apresentou como delegado da Polícia Federal.

Dias depois da mulher apresentar o homem à família, o casal foi embora da cidade com os filhos da mulher e, desde o dia 5 junho, os parentes não tinham notícia nenhuma dela e não conseguiam manter contato.

Conforme o delegado, o desaparecimento já não era tratado como criminoso porque, antes da família perder o contato com a mulher, a polícia fez análise de fotos e vídeos em redes sociais e descobriu que a mulher levou o homem e os filhos para visitar parentes dela no Rio de Janeiro, não havendo qualquer demonstração de que ela e os filhos tivessem sido levados à força.

Mulher sumiu com homem foragido da Justiça
De acordo com o delegado Diógenes, o homem com quem Ana Cristina desapareceu com os filhos é Allan Júnior, de 28 anos, foragido da Justiça. O delegado relatou que o suspeito, natural do Paraná, é procurado por crimes em pelo menos 10 estados do país.

Ainda conforme Diógenes Fernandes, Allan Júnior, que estava preso na Cadeia Pública de Solânea desde agosto de 2018, saiu do local no dia 17 de maio deste ano. O homem teria sido liberado para ir ao um encontro com a mulher em um motel da cidade. “As investigações revelaram que quem foi buscar ele em um carro em frente à cadeia foi a Ana Cristina”, afirmou.

Após sair da cadeia para o encontro com a mulher, Allan Júnior não retornou. “No dia seguinte, a direção da cadeia comunicou à delegacia da cidade o desaparecimento do homem e todos os seus pertences, além de uma arma de fogo, uma pistola .40, pertencente ao sistema Penitenciário, que sumiu da cadeia”, contou o delegado.


G1

Comente aqui com o Facebook: