Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

sábado, 6 de julho de 2019

Jogadores viram escudos de Tite. Não aceitam pensar na sua saída

Rio de Janeiro, Brasil

Granja Comary

Há mais um ingrediente de peso na definição da permanência de Tite na Seleção.

Ele tem o grupo de jogadores na mão.

Para eles não há a menor lógica em pensar na saída do treinador após a final da Copa América, no domingo.


"Ele é o nosso líder. Precisa ser muito respeitado. Faz um trabalho excelente com a Seleção. Ganhou mais de 80% dos jogos. O mister está nos conduzindo da melhor maneira. 

"Não concordo com críticas. Muito menos com vaias. O mister (técnico em espanhol) tem todos os méritos pelo nosso sucesso."

A afirmação é de um revoltado Casemiro.

"Não posso nem imaginar o Tite deixando a Seleção. Ele formou o nosso grupo.  É o responsável pelo nosso amadurecimento. Passamos com ele por situações difíceis, como a Copa do Mundo. 

Mas agora, o grupo está no caminho. A Copa América mostra a nossa evolução. 

O projeto do Tite vai até a Copa de 2022.

E ele tem de ficar até lá."

Marquinhos foi ainda mais específico.

A principal diversão dos jogadores na gelada Granja Comary é ficar na Internet. E eles sabem muito bem do descontentamento do técnico em não poder escolher o coordenador de seleções, o substituto de Edu Gaspar.

Entre todos os jogadores, quem mais defende Tite junto a Rogério Caboclo é Neymar. Ele tem todos os privilégios desde Mano Menezes, Dunga, Felipão. 

Mas Tite segue com uma postura paterna inacreditável. Em todos os problemas que a maior estrela da Seleção se envolveu, ele tomou partido do jogador.


Na acusação de estupro feita pela modelo Najila Trindade, o técnico não só o apoiou. Mas teve uma longa conversa com Neymar garantindo que acreditava absolutamente na sua inocência.

Neymar já reiterou a valorização de Tite em tudo que a Seleção Brasileira está conseguindo de bom.

Caboclo leva demais em consideração a postura dos jogadores. Principalmente de Neymar.


O capitão Daniel Alves é outro que tem uma postura firme.

Não aceita nem que Tite seja questionado.

E o vê injustiçado.

A postura dos jogadores tem reflexo na cúpula da CBF.

Renato Gaúcho e Mano Menezes, técnicos que têm mais chance de serem eventuais substitutos de Tite, não contam com o apoio explícito de nenhum atleta.

Tite conseguiu, da sua maneira, formar uma família.

E ela pesa nesta hora de incerteza.

Quando, mesmo com o eventual título da Copa América, ele se sente desvalorizado por ter de aceitar um novo coordenador, um 'novo chefe', no lugar de Edu Gaspar.

Juninho Paulista é o grande favorito para o cargo.

Os dois não têm intimidade, cumplicidade, amizade.

Mas Tite conseguiu tudo isso com os jogadores da Seleção Brasileira.

E Rogério Caboclo não tem como virar as costas a esse apoio...




POR COSME RÍMOLI / R7

Comente aqui com o Facebook: