Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Ricardo diz que Cássio errou o bote ao dizer que Estado perpetua seca com ICMS para pipeiros

O governador Ricardo Coutinho disse em entrevista nesta segunda-feira (21) que o senador Cássio Cunha Lima errou o bote ao declarar que o Governo do Estado estaria ajudando a perpetuar a indústria da seca ao instituir ICMS para carros-pipa. 

A retenção está sendo feita pelo Exército com base em lei de 1997 e Ricardo reiterou que “o Governo do Estado não está promovendo nada. Não editou nenhum ato”.

Ricardo considerou ainda que “vindo do senador Cunha Lima ninguém pode imaginar coisa diferente.
Fica feito aquela hiena esperando uma suposta vítima fraquejar para poder atacar. Só que sempre erra o bote. Primeiro porque nós não estamos frágeis, estamos bem fortes e, segundo, nós temos a verdade e a história aqui na frente”.

O governador também reforçou que não se sente intimidado com as declarações do senador. “É lamentável e pra mim, sinceramente, até bom perceber que a fragilidade está exatamente em quem acusa. Porque acusa sem consistência e quando acusa, poucas horas depois fica desmoralizado”, destacou Ricardo Coutinho.

Como governador da Paraíba, Ricardo Coutinho ressaltou que viabilizou a construção de 1.500 km de adutoras em todo o estado, enquanto que Cássio teria passado seis anos no Governo e feito 150 km de adutoras. “E ainda tem coragem de falar que estou perpetuando a indústria da seca”, criticou o governador.

“Apesar desse tipo de gente que existe na política, quero dizer que esse estado da Paraíba continuando com esse nível de investimento será o único estado do Nordeste que em quatro anos terá segurança hídrica em todas as cidades”, enfatizou Ricardo Coutinho.

Pipeiros -  O governador Ricardo Coutinho explicou que não foi o Estado que acionou o Exército para cobrar ICMS dos pipeiros, "O Exército fez uma consulta no ano passado sobre se o frete de água existia ou não. É claro que existe, sim, no caso da Paraíba foi criado em 1997, o regulamento do ICMS foi de 1997", esclareceu, informando que apesar do transporte de água ser tributável, na Paraíba nunca foi tributado. "O Exército, com essa consulta, passou a fazer a retenção. Mas o Exército não é contribuinte do ICMS, ele não pode fazer essa retenção", explicou o governador. 

Ricardo disse que vai oficiar hoje mesmo ao Exército sobre a impossibilidade dele fazer essa retenção de ICMS e que vai pedir ao Confaz a isenção, nacionalmente, desse imposto para os pipeiros.


Clickpb

Comente aqui com o Facebook: