Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Garota que envelhecia mais rápido morre aos 8 anos

Poucas são as pessoas que talvez nunca tenham visto o rosto de Lucy Parke na web. A garotinha irlandesa trazia uma expressão precocemente envelhecida ainda na infância por conta de uma condição rara que a fazia envelhecer oito vezes mais que o normal, chamada Síndrome de Hutchinson Gilford Progeria, mais conhecida apenas como Progeria.

Lucy, entretanto, morreu no último dia 1, com apenas 8 anos. A informação foi divulgada pelo Daily Mail, que chegou a entrevistar os pais de Lucy, cuja doença rara afeta apenas uma a cada oito milhões de pessoas e há apenas 100 casos conhecidos em todo o mundo.


Até o momento, ainda não há uma cura conhecida para a Progeria, que traz uma expectativa média de vida de 13 anos. Há raríssimos casos de pacientes que viveram até os 20 anos.

A maioria dos tratamentos se concentra na redução de complicações dos pacientes, já que 90% deles acabam morrendo por conta de aterosclerose (rigidez das artérias), que colaboram para alta incidencia de ataque cardíaco ou derrame.

Stephanie Parke, mãe de Lucy, sempre deixou claro que a garotinha era uma criança feliz. Stephanie e o marido, David Parke, têm outros três filhos (Jake, Jenny e Ben), que nasceram sem a Progeria.

“Seu corpo era fraco, mas seu coração era forte”, disse Stephanie ao Daily Mail. Lucy morreu no primeiro dia de 2018, rodeada por seus familiares, em sua casa, que fica em Ballyward, na província de Ulster, na Irlanda do Norte.

No funeral de Lucy, ao invés de pedir para que pessoas enviassem flores em homenagem à sua filha, Stephanie e David pediram que o dinheiro fosse doado ao Northern Ireland Children’s Hospice e a instituições que ajudaram Lucy nos tratamentos necessários por conta de sua doença.

A Progeria (que, do grego significa “envelhecimento prematuro) geralmente é diagnosticada no segundo ano de vida dos pacientes. Já no primeiro ano dos bebês, entretanto, o crescimento abaixo do normal e a queda de cabelos são os primeiros sinais da rara condição.

Na web, Lucy foi homenageada por famosos como a atriz norte-americana Nia Long e a humorista italiana Lady Facchinetti. “Que homenagens em todo mundo caiam sobre esta preciosa garotinha”, escreveu Nia. “Adeus, Lucy, esta garota de 8 anos presa em um corpo centenário”, escreveu Facchinetti.

Lucy chegou até a ser tema de um livro sobre sua história, When We Can’t, God Can(Quando Nós Não Podemos, Deus Pode, em tradução literal), escrito por Catherine Campbell.

“Ela era linda em todos os sentidos e lutou bravamente contra os efeitos em seu corpinho nesses oito anos. Lucy agora está livre de suas limitações mas, por favor, rezem por sua maravilhosa família, que está devastada com sua morte. Sou muito sortuda de ter tido o prazer de conhecer essa garotinha maravilhosa”, disse a escritora.


Quem

Comente aqui com o Facebook: