Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

domingo, 2 de julho de 2017

Agricultores ajudam no reflorestamento de reserva legal em assentamento na Paraíba

Há um mês, agricultores do Assentamento Cícero Romana I, em Esperança, Agreste paraibano, a 159 km de João Pessoa, têm se revezado em ações de reflorestamento e cercamento dos aproximadamente 60 hectares da reserva legal da comunidade. 

Nessa quarta-feira (14), cerca de 30 assentados participaram do plantio de 200 mudas de mais de 15 espécies de árvores na área, que já se encontrava degradada quando o assentamento foi criado, em 2005, e que vinha sendo utilizada como área de pasto por agricultores vizinhos após o início da grande seca que atinge a região há pelo menos cinco anos.

De acordo com a presidente da associação dos moradores do assentamento, Jandira Pereira, foram plantadas até agora 500 mudas, todas oriundas de doações.
A ideia é recuperar e proteger a reserva legal do assentamento através da conscientização ecológica de assentados e vizinhos, transformando o local. Atualmente, espécies rasteiras predominam o assentamento, mas a área é capaz de abrigar diversidade de fauna e da flora características da região, que tem úmida de altitude e a mata subcaducifólia – vegetação também conhecida como “mata seca”.

Entre as espécies que estão sendo plantadas na área de reserva legal do Assentamento Cícero Romana I estão: ipê amarelo, ipê rosa, barriguda, cedro, cajueiro, pinho, nim, leucena, cumaru, ubiratã, chichá, aroeira, sabiá, mulungu e algaroba.

Jandira Pereira explica que o cercamento do perímetro da reserva legal está sendo realizado com o aproveitamento de troncos secos e com arame farpado comprado pelos próprios assentados. Em algumas partes, os agricultores optaram por utilizar cercas vivas com o plantio de mudas de mulungu e de algaroba. “Já cercamos 50% da reserva”, conta.

Engajamento

Para o assentado Petrônio Diniz, 63 anos, a ação do homem também contribui para a seca e para o empobrecimento do solo. “O que estamos passando não é culpa de Deus, é do desmatamento e da falta de cuidado com a natureza”, afirma, acrescentando que os assentados precisam cuidar bem de sua maior conquista, a terra para produzir.

“Minha família sempre foi humilde, nunca teve nada na vida. Mas, depois de assentados, nossa vida mudou 90%. Hoje, eu consegui dar uma situação melhor à minha família. A gente se alimenta muito melhor. Antes, o lucro ia todo para o patrão”, conclui o agricultor familiar.

Os jovens da comunidade também estão se mobilizando para recuperar a vegetação do assentamento, como é o caso de Marcelo Henrique Nunes, 18 anos, e Pedro Flor, 21 anos, que estão cercando as margens do rio que corta Cícero Romana I e estão se preparando para iniciar o plantio de espécies frutíferas no local.

O Assentamento Cícero Romana I abriga 54 famílias, que vivem da produção de feijão, milho, batata doce, batata inglesa, fava, macaxeira e hortaliças, além de frutas como limão e laranja. Os produtos são vendidos principalmente em uma feira agroecológica realizada às sextas-feiras pela manhã em frente ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Esperança.

Pronaf e produção de mudas

O gerente do escritório da Emater-PB de Esperança, o extensionista rural Gilvan Salviano, que esteve presente na atividade dessa quarta-feira (14), afirma que o órgão vai iniciar, em breve, visitas a todas as famílias do Assentamento Cícero Romana I para elaborar projetos para o acesso aos recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Os projetos, segundo Araújo, deverão ser voltados prioritariamente para o atendimento das necessidades básicas de infraestrutura hídrica dos agricultores, como a construção de barreiros e de cisternas e a aquisição de motores, de forma a dotar as famílias de condições de produção mesmo em épocas de estiagem.

“Queremos criar condições e dotar o assentamento de infraestrutura para que os assentados possam produzir hortaliças e criar aves e suínos, por exemplo, para fornecer para o PAA [Programa de Aquisição de Alimentos] da Conab [Companhia Nacional de Abastecimento]”, diz.

A Emater-PB se comprometeu ainda a elaborar um projeto para o treinamento de agricultores do assentamento para a produção e a construção de um viveiro de mudas com o apoio da Associação dos Pequenos Produtores de Timbaúba e Araras (APPTA).

Reserva legal

No Assentamento Cícero Romana I, existe uma reserva legal, área onde é necessário uso sustentável dos recursos naturais, conservação e reabilitação dos processos ecológicos, conservação da biodiversidade, abrigo e proteção de fauna e flora nativas. Ela varia de acordo com o bioma e o tamanho da propriedade e pode ser de 80% da propriedade rural localizada na Amazônia Legal, 35% da propriedade rural localizada no bioma cerrado dentro dos estados que compõem a Amazônia Legal, e de 20% nas propriedades rurais localizadas nas demais regiões do país.



Portalcorreio

Comente aqui com o Facebook: