Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

26 outubro 2021

Bolsonaro responsabiliza Revista EXAME por relação entre vacina contra covid e aids



O presidente Jair Bolsonaro culpou nesta 2ª feira (25.out.2021) a revista Exame pela relação entre vacina contra a covid-19 e a aids. O presidente afirmou que “foi a própria Exame que falou da relação de HIV com vacina”. Na 5ª feira (23.out), durante a live semanal.

  

Após o Facebook decidir excluir de sua plataforma a última transmissão do presidente Jair Bolsonaro em que ele falava de uma matéria que foi veiculada na Revista Exame no ano de 2020, relacionando  as vacinas contra covid-19 e desenvolvimento de HIV, o vírus da aids (síndrome de imunodeficiência adquirida), o presidente justificou que a relação, falsa, foi feita com base em uma notícia da revista Exame, jogando a culpa da sua fala na imprensa, uma "fábrica de fake news", como ele classificou. 




"Na segunda-feira, a revista Exame fez uma matéria sobre vacina e aids, eu repeti essa matéria na minha 'live', dois dias depois a revista Exame falou que eu falei fake news. Foi a própria Exame que falou da relação de HIV e vacina. Eu apenas falei sobre matéria da revista Exame"




A reportagem a que Bolsonaro se refere foi publicada em outubro de 2020 com o título "Algumas vacinas contra a covid-19 podem aumentar o risco de HIV". A matéria afirma que pesquisadores estavam preocupados que algumas vacinas que usam um adenovírus específico no combate ao vírus SARS-CoV-2 podem aumentar o risco de que pacientes sejam infectados com HIV.




Como mostrou o Estadão/Broadcast, o Facebook decidiu excluir de sua plataforma a transmissão ao vivo realizada pelo presidente. Controlado pelo Facebook, o Instagram também removeu o conteúdo. Já o YouTube mantém a "live" disponível até o momento. Em nota encaminhada à reportagem, o Facebook cita as políticas internas da plataforma após decidir pela exclusão da "live". "Nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas de covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas", afirma a empresa.


Veja reportagens:



 




Da Redação

Nenhum comentário: