Plantão

Compre no AMAZON

Os Melhores Preços no AMAZON

13 maio 2021

25 anos da urna eletrônica: sistema de votação ainda é seguro?


Nesta quinta-feira (13), a urna eletrônica completa 25 anos de uso. Em 1996, a Justiça Eleitoral enviou as primeiras urnas para todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) do Brasil e deu início à primeira eleição informatizada do país.

Para comemorar a data, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) produziu uma série de materiais para televisão, rádio e redes sociais sobre o assunto. O conteúdo vai abordar a história da urna eletrônica e contará com relatos de pessoas que viram o aparelho "nascer" e ser implementado, assim como depoimentos de mesários, servidores e colaboradores do TSE.

Segundo Luís Barreto, presidente do TSE, o objetivo é mostrar sua importância para a democracia e explicar como o sistema é seguro e transparente. “Eu sou uma pessoa que parto sempre da premissa de boa-fé das pessoas. E, portanto, quem pensa que a urna não é auditável é porque não tem essa informação. Por isso, nós estamos fazendo um esforço de comunicação para dar a maior transparência possível e acesso a essa informação", afirma.

urna eletronicaA urna eletrônica foi utilizada pela primeira vez em 1996 (Reprodução/TSE)

É segura?

Barreto explica que o material deve explicar todo o sistema de segurança do sistema eletrônico utilizado em votações - tema que é, no mínimo, polêmico no país. Com as votações cada vez mais apertadas, muitos questionamentos sobre possíveis brechas de segurança começaram a surgir nos últimos anos.

Um dos principais críticos é o pesquisador Diego Aranha, que questiona o software utilizado na máquina, o Termo de Confidencialidade dos testes de segurança, falta de transparência, entre outros. Em contrapartida, o TSE garante que a urna nunca foi invadida, já que softwares desconhecidos bloqueiam automaticamente o aparelho. Além disso, também são realizados testes públicos para que equipes especializadas tentem burlar o sistema.

Onde assistir

A série “Urna eletrônica 25 anos” poderá ser acompanhada pelo Portal do TSE e pelos perfis do Tribunal no Instagram, no Facebook, no Twitter, no YouTube e no TikTok. O TSE também produzirá conteúdo específico para o WhatsApp, que poderá ser compartilhado.



Tecmundo


Nenhum comentário: