Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

21 abril 2021

“Não temos medo de CPI”, dispara Bolsonaro

No primeiro evento com empresários, do programa “Diálogos pelo Brasil”, criado por Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta terça-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro, por videoconferência, comentou sobre o plano nacional de imunização e a agenda de reformas.

Entre os presentes, estavam dez ministros do Governo Bolsonaro, como Paulo Guedes, da Economia, e mais 40 empresários, entre eles, Abílio Diniz (Península), André Bier Gerdau Johannpeter (Gerdau), André Esteves (BTG Pactual), Luiz Carlos Trabuco (Bradesco) e Wesley Batista Filho (JBS).

Um dos pontos discutidos foi a vacinação contra a Covid-19, pandemia que já assola a economia mundial há mais de um ano. Os empresários acreditam que a estabilidade econômica e os novos investimentos no setor só podem ser colocados em prática com a imunização da população. Além disso, as reformas estruturais, com destaque para a reforma administrativa que a CCJ pretende colocar em pauta, também foram debatidas no encontro.

“O que precisamos é de um ambiente seguro para isso (para a economia girar), razão pela qual apoiamos as reformas estruturais. A Reforma Administrativa é a que está mais adiantada e merece o esforço de todos para a sua aprovação”, disse Skaf.

Bolsonaro concordou com os empresários e reafirmou que a vacinação é "fundamental" para que o país volte a crescer com mais velocidade. Desde o início da pandemia do coronavírus no país, em março de 2020, o presidente “levanta” a bandeira de que saúde e economia “caminham” lado a lado.

“O Brasil não parou. Fizemos muita coisa no ano passado, desde a gestão Pazuello, e as vacinas são uma realidade hoje. Não temos medo de CPI, mas espero que essa ação não prejudique o nosso trabalho”, explicou.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também esteve presente e garantiu aos empresários que prevê "um horizonte melhor" de vacinação, entre maio e junho. Mas, alertou que é preciso evitar aglomerações no transporte público, uma das principais vias de contágio da doença, na atualidade.

Até o momento, 12,83% da população brasileira já foi vacinada com a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. Já a segunda dose, foi aplicada em 5,06%.



G1

Nenhum comentário: