Plantão

Compre no AMAZON, o Site mais seguro mundo!

Os Melhores Preços no AMAZON

05 fevereiro 2021

Auxílio Emergencial pode voltar, mas só para os autônimos, provavelmente pessoal do bolsa família fica fora

De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, uma nova rodada do Auxílio Emergencial ainda pode ser concedida pelo governo, mas só será distribuída em caso de "calamidade pública". Além disso, o benefício abrangerá apenas metade dos favorecidos em 2020.

Segundo o ministro, o retorno do auxílio emergencial ainda é uma possibilidade para os cofres do governo, mas deve retornar com um planejamento orçamentário mais "focalizado." Caso o benefício seja distribuído novamente, cerca de 32 milhões de pessoas podem ser contempladas.

Fonte:  Wikimedia Commons 

O número é pouco menos da metade dos 67,9 milhões de brasileiros que receberam o auxílio emergencial em 2020, durante o começo da pandemia do coronavírus. "Estamos preparados para fazer as coisas dentro das proporções", indica Paulo Guedes.

Calamidade pública

De acordo com Guedes, o novo auxílio emergencial seria focado apenas em brasileiros que não recebem nenhum tipo de benefício estatal. Com isso, os integrantes do Bolsa Família, por exemplo, seriam excluídos da nova onda.

O ministro também disse que o governo está preparado para oferecer uma resposta rápida para a população com o auxílio emergencial. Porém, o benefício só será liberado caso um estado de "calamidade pública" seja deflagrado.

"Nós temos como orçamentar isso, desde que seja dentro de um novo marco fiscal", explica o ministro da Economia. "Se o Congresso aciona o estado de calamidade, temos condição de reagir rapidamente."

Os debates sobre o retorno do auxílio emergencial em 2021 acontecem desde janeiro, mas nenhuma decisão concreta foi tomada. A eleição da Câmara ocorreu nesta semana e, após a aprovação do orçamento da União, que deve ocorrer até março, pode ser que as conversas sobre a distribuição do benefício voltem a avançar.



Exame

Nenhum comentário: