Últimas Notícias

Arbitragem decide, e São Paulo apenas empata com Novorizontino

Após ter dois gols de Alexandre Pato anulados de forma incorreta e ter dois pênaltis a seu favor não marcado, o São Paulo saiu perdendo, mas arrancou o empate em 1 a 1 com o Novorizontino, na noite desta segunda-feira, no Morumbi, pela quarta rodada do Campeonato Paulista. Higor Leite fez o gol dos visitantes, enquanto Brenner amenizou o estrago do Tricolor.


Ainda invicto, o São Paulo ainda lidera o Grupo C, com oito pontos. Já o Novorizontino, que atuou com apenas cinco titulares — Oliveira, Adilson Goiano, Cleo Silva, Higor Leite e Felipe Marques — ultrapassou o Palmeiras e, também invicto, assumiu a segunda colocação do Grupo B, com oito pontos.

O Tricolor só volta a campo no próximo domingo, quando visitará o Santo André, às 18 horas. Já o Novorizontino, antes de receber o Ituano, também no domingo, às 19 horas, receberá o Figueirense, na próxima quinta-feira, às 16h30, pela primeira fase da Copa do Brasil. Foi exatamente por isso que o técnico Roberto Fonseca poupou jogadores no Morumbi.

Alexandre Pato mostrou disposição logo no início e balançou a rede com um minuto de jogo. O atacante estava em posição legal, mas o assistente de arbitragem Vitor Carmona Metestaine levantou a bandeira, e o árbitro Flávio Roberto Mineiro Ribeiro, de apenas 24 anos, acatou a decisão e marcou de forma equivocada o impedimento. O Novorizontino, por sua vez, passou a pressionar e levou perigo em dois chutes de Danielzinho. Tiago Volpi foi bem ao defender o primeiro, e Hernanes foi fundamental quando interceptou o segundo. Pato faria um belo gol, aos 12 minutos. Recebeu a bola em posição legal novamente, driblou o goleiro e empurrou a pelota para o fundo da rede. Mais uma vez, a dupla Vitor Metestaine & Flávio Ribeiro errou ao marcar outro impedimento. Além disso, o árbitro ainda deixou de marcar um pênalti de Felipe Rodrigues em Vitor Bueno. 

Quando o relógio marcava 36 minutos, ainda no primeiro tempo, uma queda de energia no bairro do Morumbi causou um apagão geral no estádio. O gerador, entretanto, foi rapidamente ativado e a partida ficou paralisada por apenas três minutos. Após o retorno, o São Paulo teve uma ótima chance de gol. Reinaldo fez uma cobrança rasteira de escanteio e achou Hernanes na área. O volante limpou a marcação e chutou. A bola passou do goleiro Oliveira, mas Felipe Rodrigues apareceu para salvar o Novorizontino em cima da linha. O gerador de energia iluminou a visão de Flávio Ribeiro também. Aos 46, o árbitro acertou ao não marcar o pênalti no lance em que a bola bateu na barriga de Adriano Mina após Pato chutar. Além disso, acertou ao encerrar a etapa inicial, sem deixar o Tricolor cobrar escanteio, assim que Oliveira fez grande defesa após Pablo chutar. O relógio marcava 48 minutos, e ele precisou dar, de acréscimos, apenas os três minutos em que o jogo ficou parado pelo Apagão.

A boa fase de Flávio Ribeiro, no entanto, foi momentânea. No segundo tempo, logo aos seis minutos, o árbitro ignorou outro pênalti a favor do São Paulo. Arboleda girou, na pequena área, e Felipe Rodrigues interceptou a bola com o braço. O São Paulo seguia pressionando. Aos xxx, uma sequência impressionante no ataque levantou os torcedores na arquibancada. Após xx cruzar, Pablo cabeceou, e Oliveira fez grande defesa, mas soltou a bola. Em seguida, Hernades bateu e foi travado por Edson Silva. A defesa do Na sequência, o Novorizontino saiu jogando errado e cedeu a bola para Reinaldo, que bateu de fora da área e acertou o travessão.

A justiça do futebol, porém, mostrou-se controversa aos 25 minutos, quando Higor Leite recebeu na área, tocou na saída de Tiago Volpi, e fez o gol. O meia, que é titular da equipe do Novorizontino, tinha acabado de entrar em campo. Apesar do desânimo e das vaias que já ecoavam no Morumbi, o Tricolor resistiu e conseguiu empatar aos 41 minutos. Após cruzamento de Vitor Bueno, Oliveira falhou e Brenner, que entrou no lugar de Pato, empurrou a bola para o fundo da rede. O São Paulo batalhou até o fim. Aos 49, no quatro dos cinco minutos que o juiz deu de acréscimos, Pablo arrancou um escanteio. Na sequência, a bola sobrou dentro da área, mas o camisa 9 só conseguiu resvalar nela, que foi para fora. Antes, o árbitro voltou a errar ao não marcar uma falta de Arboleda em Cléo Silva. O atacante do Novorizontino ia na cara do gol.

SÃO PAULO 1 X 1 NOVORIZONTINO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP) 
Data-Hora: 3 de fevereiro de 2020, às 20h
Árbitro: Flávio Roberto Mineiro Ribeiro 
Assistentes: Vitor Carmona Metestaine e Enderson Emanoel Turbiani da Silva 
Público/Renda: 14.006 presentes/R$ 378.987,42
Cartões amarelos: Tchê Tchê, Brenner e Fernando Diniz (São Paulo); Danielzinho e Léo Baiano (Novorizontino)

Gol: Higor Leite, 25'\2ºT (1-0), Brenner, 41'/2ºT (1-1)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran (Everton, 28'/2ºT), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Hernanes (Toró, 29'/2ºT); Pablo, Vitor Bueno e Alexandre Pato (Brenner, 23'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz. 

NOVORIZONTINO: Oliveira; Felipe Rodrigues, Adriano Mina, Edson Silva e Willian Formiga; Adilson Goiano, Léo Baiano e Danielzinho (Higor Leite, 24'/2ºT); Cléo Silva, Capixaba (Felipe Marques, 29'2ºT) e Jenison (Guilherme Queiroz, 32º/2T). Técnico: Roberto Fonseca.



Lance

Comente aqui com o Facebook: