Últimas Notícias

Primeiro satélite da UFSC será lançado por foguete chinês neste mês, informa Bolsonaro

No próximo dia 20 de dezembro, serão lançados, da China, o satélite CBERS-4A e o nanossatélite FloripaSat. A informação foi publicada nesta segunda-feira (9) pelo presidente Jair Bolsonaro em seu Twitter.

De acordo com o presidente, montado no INPE, com parte de tecnologia nacional, o CBERS-4A faz parte de um acordo de cooperação com a China desde 1988.


Já o Floripasat é um cubesat (acrônimo das palavras em Inglês: Cube e Satellite) é o primeiro satélite desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), como parte de suas atividades acadêmicas.

O CLA (Centro de Lançamento de Alcântara) “continua em preparação para lançar satélites do Brasil, entre eles os brasileiros, de pequeno porte, a partir de 2021”, enfatizou o presidente.

FloripaSat-1

Desenvolvido por alunos de graduação, mestrado e doutorado dos cursos de Engenharia Elétrica, Automação e Mecânica, o FloripaSat-1 é um cubeSat de pesquisa tecnológica construído em parceria com o programa Uniespaço da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Um cubeSat é um tipo de satélite miniaturizado (nanossatélite), medindo múltiplas unidades cúbicas de 10cm (formato 1U) e pesando não mais do que 1,33 kg por unidade.

O projeto possui, ainda, entre suas finalidades a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologia para a área espacial; a capacitação para tecnologias espaciais, por meio da integração de alunos de graduação, pós-graduação e professores no desenvolvimento de pesquisas; e o fortalecimento do estado de Santa Catarina como um polo na área espacial, visando atrair objetos inovadores e de grande complexidade e estimular investimentos públicos e privados.

Satélite sino-brasileiro

O foguete chinês Longa Marcha-4 também fará o lançamento do CBERS-4A – projeto da AEB e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST), executado pelo Inpe.

Desde maio, quando foi transportado do Brasil para o país asiático, o satélite estava armazenado e em testes no laboratório da Academia Chinesa, em Pequim, tendo sido transportado de trem na última terça-feira, dia 5 de novembro, para a base de lançamento, a 500 km da capital chinesa, de onde será lançado.

De acordo com informações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o CBERS-4A terá seus módulos de serviço e de carga útil integrados pelos especialistas do Inpe e da CAST na base chinesa.

Depois desta etapa, os módulos do satélite serão submetidos a testes elétricos para verificação de ocorrências de danos durante o transporte.

Segundo dados do MCTIC, os testes foram programados para serem concluídos no mês de novembro, quando serão realizadas as atividades de preparação final, como a instalação do painel solar e a revisão de prontidão do satélite, quando é autorizado o abastecimento dos tanques de combustível do CBERS-4A.

O CBERS-4A é o sexto satélite construído a partir de uma cooperação com a China, que completou 30 anos.

O satélite fornecerá imagens para monitorar o meio ambiente, identificar desmatamentos, desastres naturais e para a expansão sustentável da agricultura e das cidades, entre outras aplicações. Com informações, UFSC.



Terça livre

Comente aqui com o Facebook: