Últimas Notícias

domingo, 6 de outubro de 2019

Trabalhador que foi vítima de acidente perde movimentos de membros e vive drama por falta de condições para comprar remédios e alimentos, em Conceição

O drama vivido pelo conceiçãoense, Cláudio Gregório de Lima, mais conhecido como “Pau Seco”, de 49 anos de idade, é de ‘cortar coração’. 

Depois de sofrer um acidente, Cláudio perdeu as forças das pernas e dos braços. Desde então, ele necessita do auxílio de alguma pessoa para fazer uma simples alimentação, entre outras atividades do dia a dia. Cláudio Gregório reside na rua Antônio Gomes Duarte, no bairro Nossa Senhora de Fátima.


Na época do acidente, o conceiçãoense precisou se submeter a uma cirurgia no crânio, onde foram introduzidos quatro pinos e desde que recebeu alta do hospital, ele sofre o drama das seqüelas do acidente. Cláudio é casado com Dalva dos Santos Sousa, com quem tem cinco filhas. Uma das filhas casada e, diante do drama vivido pelo pai, levou uma irmã para morar com ela, enquanto as outras três passam necessidade com a família, depois que o pai ficou impossibilitado de trabalhar.

O acidente, que deixou Pé Seco gravemente ferido, ocorreu na noite do dia 15 de julho, na rodovia PB 386, no bairro Nossa Senhora de Fátima, em Conceição. Ele seguia na sua motocicleta quando ocorreu a colisão com um caminhão carregado de pedra de mármore, que seguia no mesmo sentido. Na passagem de um quebra molas, a motocicleta colidiu na traseira do caminhão.

No choque, Pé Seco ficou gravemente ferido. Ele recebeu os primeiros socorros no local, realizados por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, para em seguida ser levado para o hospital e Maternidade Caçula Leite, de onde foi transferido para a cidade de Patos.

Sem condições para comprar, sequer alimentos e produtos de limpeza pessoal, por viver em extrema pobreza, uma filha de Cláudio Gregório faz um apelo emocionado por ajudas. “A nossa angústia aumenta porque ele não tem condições de trabalhar e nós estamos passando necessidade. Na nossa casa faltam alimentos e ele não tem dinheiro para comprar medicamentos. Antes meu pai tinha saúde e trabalhava e mesmo com dificuldade colocava comido dentro de casa. Hoje ele vive numa situação dessa e não consegue trabalhar que era a coisa que ele mais gostava de fazer e não deixava faltar nada dentro de casa pra gente comer”, lamentou uma das filhas.

Para ajudar, o leitor poderá se dirigir ao endereço citado na reportagem ou efetuar depósito de qualquer valor para a conta com dados a seguir: Agência 3571, Operação 013, Conta Poupança 34256-0, Caixa Econômica Federal.


Por Gilberto Angelo

Comente aqui com o Facebook: