Últimas Notícias

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

'Maníaco em série': Paraibano é denunciado pelo MP do DF por quatro crimes; entenda

O Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) denunciou, nesta terça-feira (17), o cozinheiro Marinésio Olinto, de 41 anos, natural de Bayeux, na Grande João Pessoa – chamado de "maníaco em série" pela Polícia Civil do DF – pelo assassinato da funcionária do Ministério da Educação Letícia Sousa Curado Melo, de 26 anos (entenda abaixo).


O MP encaminhou à Justiça a denúncia por quatro crimes:

Homicídio quintuplamente qualificado ( feminicídio, motivo torpe, meio cruel, dissimulação e crime praticado para assegurar impunidade de outro crime).
Tentativa de estupro

Furto

Ocultação de cadáver

Além da morte de Letícia, Marinésio é suspeito de ter praticado, pelo menos, dez crimes contra mulheres.

"Trata-se de verdadeiro "serial killer" agindo no Distrito Federal, uma vez que logo após a descoberta do presente fato várias denúncias surgiram contra o acusado", diz a denúncia.

Justificativa do MP

Ao todo, o inquérito apresentado pelo MP tem 148 páginas. Já a denúncia assinada pelo promotor de justiça Otávio Binato tem 6 folhas.

De acordo com a acusação, o motivo torpe é porque Marinésio matou Letícia Curado após a advogada se recusar a manter relações sexuais com ele. Já o meio cruel se deu porque o acusado esganou a vítima, "causando sofrimento intenso e desnecessário".

Ainda segundo o documento, houve dissimulação porque Marinésio se passou por motorista de transporte irregular.

Para o MP, o feminicídio ficou evidenciado pelo profundo desprezo do cozinheiro pelo gênero feminino.

De acordo com o Ministério Público, Marinésio atacava mulheres de forma "reiterada para obrigá-las à prática de sexo ou de outros atos libidinosos não consentidos". Para os promotores, Letícia Curado foi morta para assegurar a impunidade da tentativa de estupro.

Caráter violento

Segundo o promotor Otávio Binato, o depoimento de Marinésio demonstrou "seu perfil agressivo", por isso, o MP pediu a prisão preventiva – sem prazo para acabar – do cozinheiro. Ele está detido temporariamente desde 24 de agosto, um dia após a morte de Letícia.

"Trata-se de uma pessoa de caráter violento, que não pode ficar em convívio social."

Se a denúncia for aceita pela Justiça, Marinésio se torna réu e vai ser julgado pelo Tribunal do Júri na vara de Planaltina. A pena prevista para crimes de feminicídio varia de 12 a 30 anos de reclusão.

Questionado pelo G1, o Tribunal de Justiça do DF informou nesta quarta-feira (18), que "a denúncia do MP foi encaminhada à Vara do Tribunal do Júri de Planaltina e está sendo apreciada pelo juiz, ainda sem decisão".

A morte de Letícia Curado

O corpo da funcionária do MEC Letícia Curado foi localizado em 26 de agosto, três dias após desaparecer a caminho do trabalho. Na época, Marinésio foi preso e confessou o crime à polícia.

No mesmo dia, disse à polícia ter matado uma outra mulher, a empregada doméstica Genir Pereira de Sousa. Ela desapareceu no dia 2 de junho e o corpo foi encontrado dez dias depois, em uma região entre Planaltina e o Paranoá.

Empregada doméstica morta por Marinésio Olinto foi homenageada pelo Metrô no Dia da Mulher

Um laudo da Polícia Civil apontou que Letícia Curado foi morta por esganamento e não sofreu violência sexual. Até esta quarta (18), a delegacia que investiga o caso não tinha informado a tipificação do crime.

Com a denúncia do Ministério Público, o DF passa a ter 21 casos de feminicídio em 2019 (veja lista abaixo).

FEMINICÍDIOS NO DF EM 2019

5 de janeiro: Vanilma dos Santos, 30 anos

28 de janeiro: Diva Maria Maia da Silva, 69 anos

30 de janeiro: Veigma Martins, 56 anos

11 de março: Cevilha Moreira dos Santos, 45 anos

17 de março: Maria dos Santos Gaudêncio, 52 anos

29 de março: Edileuza Gomes de Lima, 68 anos

31 de março: Isabella Borges, 25 anos

14 de abril: Luana Bezerra da Silva, 28 anos

21 de abril: Elaine Maria Sousa, 49 anos

6 de maio: Jacqueline dos Santos Pereira, 39 anos

9 de maio: Cacia Regina Pereira da Silva, 47 anos

9 de maio: Maria de Jesus do Nascimento Lima, 29 anos

20 de maio: Débora Tereza Correa, 43 anos

12 de junho: Francisca Naíde de Oliveira Queiroz, 57 anos

22 de julho: Joyce Oliveira Azevedo, 21 anos

8 de agosto: Maria Almeida do Vale, 68 anos

20 de agosto: Iram Francisca de Vasconcelos, 68 anos

23 de agosto: Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos

26 de agosto Talita Valadares de Lavôr, 38 anos

29 de agosto: Cristiane Mendes de Sá, 41 anos

12 de setembro: Lilian Cristina da Silva Nunes, 25 anos



G1

Comente aqui com o Facebook: