Últimas Notícias

segunda-feira, 1 de julho de 2019

A história do carroceiro patoense que não utiliza animais em sua carroça, no Sertão da Paraíba

Na Rua Padre Anchieta, conhecida como Rua da Baixa, mora Luciano Nunes da Silva, conhecido por “Burra”, um carroceiro diferente, um carroceiro que não utiliza de animais em sua carroça.

Ele trabalha há mais de vinte anos como carroceiro e no começo utilizava um jumento, mas logo se sentiu incomodado com o sofrimento do animal e decidiu não mais utilizar de animais em sua carroça. “Eu tinha pena do animal carregando peso, não gostava de acoitá-lo, por isso decidi eu mesmo carregar a carroça”, disse o popular “Burra”. 

Luciano tem 51 anos, vive num beco na Rua da Baixa e o que ganha com a carroça é para sustentar a casa.
Vive junto e cria duas filhas de uma relação anterior da mulher. É magro, forte, e se diz disposto para trabalhar e que já conseguiu carregar até dez sacos de cimento em sua carroça. “Tudo que é carregado numa carroça normal, com animal, eu também carrego, mas sem o animal, no caso o burro sou eu, ou seja, o burro é a “Burra”, diz ele em tom de brincadeira. O apelido “Burra” se deu por motivos óbvios. Por não utilizar animais em sua carroça, e por ele mesmo carregar a carroça pelas ruas, logo surgiu o apelido de “Burra”, Ele não se incomoda com o apelido.

Muito querido no setor onde mora, ‘Burra” também é conhecido por ser fã da dupla Zezé di Camargo e Luciano, que ele escuta o dia todo. Na carroça só trabalha com um som ligado e ouvindo sempre Zezé di Camargo e Luciano. É fã incondicional da dupla sertaneja e tem um longo painel só com fotos dos artistas, que ele teve a oportunidade de conhecer quando se apresentaram em Patos.

Os amigos, principalmente Karol Januário, líder comunitário em Patos, conseguiram realizar o sonho dele de conhecer Zezé e Luciano, quando a dupla se apresentou em Patos. e ele se emocionou bastante. “Eu não sabia o que dizer de tanta emoção”, disse.


Da Redação com Folha Patoense

Comente aqui com o Facebook: