Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

sábado, 6 de abril de 2019

Quarto adolescente suspeito de estupros no Geo segue foragido após quase um mês de buscas

No dia 8 de março de 2019, três adolescentes foram apreendidos suspeitos de participação de estupros dentro de um banheiro do colégio Geo Tambaú, em João Pessoa. 

Os supostos sexuais teriam acontecido entre janeiro e maio de 2018, contra três crianças, segundo denúncias encaminhadas à Polícia Civil e ao Ministério Público da Paraíba (MPPB). Contudo, um quarto menor ainda segue foragido e o mandado de busca e apreensão sobre ele está em aberto.


O ClickPB entrou em contato com a superintendente da Polícia Civil em João Pessoa, delegada Roberta Neiva, a qual informou que em todas as tentativas os policiais não encontraram o quarto adolescente nos endereços indicados.

O caso dos supostos estupros no colégio Geo Tambaú vieram à tona no dia 8 de março quando foram apreendidos três dos quatro adolescentes suspeitos dos abusos sexuais. A denúncia inicial foi feita por uma mãe que soube por uma professora que o filho estava indo muito ao banheiro. A educadora enviou comunicado perguntando se o menino, que tinha 8 anos na época, estava com problemas fisiológicos.

Os pais da criança denunciaram o caso à Polícia Civil e, desde maio de 2018, os detalhes do processo correm em segredo de Justiça. Depois, houve a denúncia sobre estupros de mais duas crianças.

Nesta primeira semana do mês de abril foram finalizadas as audiências de instrução do caso, no Fórum da Infância e Juventude de João Pessoa. Foram ouvidas testemunhas de defesa e acusação e as três supostas vítimas. O advogado Aécio Farias, que faz a defesa de dois dos três adolescentes, de 13 e de 17 anos, informou ao ClickPB que os menores negam envolvimento nos abusos sexuais e que as provas contra eles são frágeis. Além disso, ele aponta que o exame sexológico feito na primeira criança, ainda em maio de 2018, teve resultado negativo para indícios de abuso sexual.

O processo judicial sobre os três adolescentes já recolhidos ao Centro de Educação do Adolescente (CEA) da Capital está, até esta sexta-feira (5), na fase de alegações finais da defesa e da acusação.

Em menos de 15 dias, o juiz Luiz Augusto Souto Cantalice, do Fórum de Infância e Juventude de João Pessoa dará a sentença sobre os meninos acusados de ato infracional semelhante a estupro, como é tipificada a ação quando tratam-se de menores de idade.


clickpb

Comente aqui com o Facebook: