Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Bolsonaro autoriza João Azevêdo contratar empréstimo de US$ 50 milhões

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), encaminhou ao Senado Federal a proposta para que seja autorizado um empréstimo de US$ 50 milhões entre o Governo da Paraíba e o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento – BIRD (Banco Mundial) para o projeto Cooperar, com garantia do Governo Federal.

O despacho foi publicado na edição desta sexta-feira (22) do Diário Oficial, três dias depois do governador João Azevêdo (PSB) se reunir com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília, para tratar sobre o tema.
Na quarta, o socialista se reuniu com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), para solicitar celeridade na tramitação do projeto na Comissão de Assuntos Econômicos.

“Proposta ao Senado Federal para que seja autorizada a contratação de operação de crédito externo, com garantia da República Federativa do Brasil, entre o Estado da Paraíba e o Banco Internacional para Reconstrução e  Desenvolvimento – BIRD (Banco Mundial), destinada ao financiamento parcial do “Projeto Paraíba Sustável””, diz a portaria.

Durante o encontro, o auxiliar do presidente informou que iria encaminhar o processo à Casa Civil para adiantar a tramitação no Congresso Nacional.

Os US$ 50 milhões do empréstimo, mais US$ 30 milhões de contrapartida, serão investidos em ações que vão beneficiar mais de 117 mil famílias paraibanas que trabalham com a agricultura familiar.

Atraso na liberação

Durante a solenidade de entrega de unidades habitacionais em Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, o governador João Azevêdo (PSB) lembrou que o pleito do Estado se arrastava junto ao Governo Federal durante a gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB).

“Esse projeto já estava pronto para ser assinado, há cerca de um ano e meio. Infelizmente o Governo Federal não liberou e agora estamos com esse prazo curto, buscando alcançar essa meta”, disse.

Segundo João, o Governo do Estado tem uma data-limite junto ao Banco Mundial – que é o dia 20 de março.

“Nós criamos um grupo de trabalho aqui no Estado, formado por profissionais para tratar sobre o assunto. Tive reunião com a bancada, para que a gente pudesse agilizar o processo. Pedi audiência com o ministro Paulo Guedes, com o presidente do Senado”, finalizou.


Por Wallison Bezerra

Comente aqui com o Facebook: