Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Jovem invade igreja e esfaqueia 4 fiéis durante culto Religioso

Um jovem de 28 anos invadiu, na manhã deste domingo (2), uma igreja no Setor Colina Azul, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. A Polícia Militar informou que ele estava com duas facas e atingiu quatro fiéis durante o culto.

“As testemunhas relataram que ele meteu o pé na porta, entrou e falou: ‘Vai morrer todo mundo’. Em seguida, esfaqueou quem estava na frente”, contou o sargento Willian Moraes.


O crime aconteceu por volta das 10h30 na Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias, localizada na Rua Albatroz. De acordo com os policiais, dos quatro fiéis feridos, um deles foi atingido ao tentar conter o rapaz.

A situação causou pânico em quem estava na igreja. “Não se espera esse tipo de ação, ainda mais dentro de uma igreja. Algumas pessoas correram. Uma criança saiu correndo e foi parar longe, só depois a encontraram”, disse o sargento.

Feridos
Os feridos têm 31, 33, 40 e 42 anos, sendo que dois levaram várias facadas. Os socorristas encaminharam os demais feridos para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

A unidade de saúde informou, às 14h30, que o homem de 33 anos recebeu atendimento e foi liberado. Já o paciente de 31 anos foi transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) para passar por uma cirurgia vascular no pulso direito, onde foi atingido. Os demais seguem internados no Huapa e têm quadro regular.

Prisão
Os policiais prenderam o suspeito e o levaram para o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia para a registro da ocorrência. Conforme o sargento, o homem disse poucas palavras e contou que tomou a atitude após assistir a um vídeo na internet.

“Ele viu um vídeo que Deus amaldiçoava negros e carecas. Como ele é um pouco careca, resolveu entrar na igreja com duas facas e esfaquear todo mundo”, disse o sargento.

Segundo a PM, o homem pode ser autuado por lesão corporal grave ou tentativa de homicídio. Caberá aos policiais civis de plantão definirem o crime.


G1

Comente aqui com o Facebook: