Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Advogado enaltece posicionamento de juiz que soltou cinco pessoas presas por suposto envolvimento com armas e explosivos, em Itaporanga

O Advogado Diorgennes Kaio Xavier engrandeceu o posicionamento do Juiz Antônio Eugênio, titular da 2ª Vara da Comarca de Itaporanga (PB), durante Audiência de Custódia, na manhã desta terça-feira (07), quando cinco réus, que estavam presos desde a última quinta-feira 02 de Agosto, foram liberados para voltar para suas casas e responder em liberdade, o processo por suposto envolvimento com compra e venda de armas e materiais explosivos.


De acordo com o jovem advogado, o Juiz aceitou o pedido de liberdade formulado pela defesa dos custodiados, além de ter sido endossado pelo próprio Ministério Público, que também entendeu que os cinco presos deveriam ser soltos. 

“Na Audiência de Custódia o juiz foi muito incisivo, quando queria saber a verdadeira versão do que aconteceu na tarde da quinta-feira passada, dentro da residência do Senhor Cícero Sabino de Sousa, local onde foi descoberto um grande depósito clandestino de explosivos e material de caça, porém, acredito que tanto o magistrado como também o Promotor Dr. Reinaldo Serpa, puderam constatar que a versão apresentada pelos três santanenese estava totalmente correta, pois eles estariam na cidade de Itaporanga em busca de adquirir uma arma para a caça artesanal e não explosivos para assalto a banco”, pontuou Dr. Diorgennes.

Os três santansenses, Damião Pereira da Silva, Luiz Nicolau dos Santos e Vilomar Serafim Ricarte, além dos dois itaporanguenses Venício Ferreira Prudêncio e Edneiro Nogueira postos em liberdade nesta terça-feira, durante a custodia, foram presos na última quinta-feira, 02 de Agosto, entro de uma casa pertencente ao dono de uma pedreira, na Rua Manoel Caiana, Bairro da Bela Vista, em Itaporanga (PB). Apesar de soltos, os cinco irão cumprir medidas cautelares.

Já o proprietário da casa, Cícero Sabino conhecido como Cícero de Paizim, se apresentou espontaneamente à Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (06), e deverá responder por vários crimes tipificados pelo Código Penal Brasileiro.

Para Diorgennes a liberdade dos santanenses resta comprovada que os mesmos não tinham sequer envolvimento com atos ilícitos tanto na cidade de Itaporanga como na sua própria terra natal. “São três homens trabalhadores, da roça, que aprenderam os valores de uma vida honesta regada pelo suor dos seus esforços e a sobrevivência em uma região tão castigada pela seca. Como falei para eles mesmos, Deus não dorme e a justiça não seria seus inimigos”, completou.

Na defesa dos réus presos estavam Hermírio Cabral, Zé Felismino, Allan Ferreira e Diorgennes Kaio.

A Audiência de custódia é o instrumento processual que determina que todo preso em flagrante deve ser levado à presença da autoridade judicial, para que esta avalie a legalidade e necessidade de manutenção da prisão.



Diamante Online

Comente aqui com o Facebook: