Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

sábado, 28 de julho de 2018

Apoio de prefeitos a candidatos custa até R$ 8 milhões na Paraíba

Cabos eleitorais de luxo, o apoio de prefeitos paraibanos aos candidatos a deputado pode custar até R$ 8 milhões na Paraíba nas eleições deste ano. As tratativas envolvem o compromisso de destinação e execução de emendas parlamentares para os seus municípios, garantido investimentos.
A promessa de repasse de recursos públicos é utilizada como “arma” pelos candidatos durante a pré-campanha em busca de reciprocidade nas urnas.

São verbas para construção de escolas, reestruturações de postos de saúde, aquisição de ambulâncias e pavimentação de ruas, por exemplo. O que deveria ser naturalmente empregado em benefício da população se tornou moeda de troca nas eleições. A Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup) reconhece a existência das negociações.
Ao Portal MaisPB, o presidente da entidade, Tota Guedes, sentencia: “O prefeito vota no deputado para que ele possa angariar recursos federais para o município em Brasilia”, disse.
Por ano, cada parlamentar destina em média R$ 14 milhões por meio de emendas parlamentares, resguardadas pela Constituição Federal. Na prática, a destinação, que pode chegar a R$ 8 milhões de acordo com a Famup, serve como forma de colocar o prefeito ‘refém’ do político. Segundo Guedes, quem conquista a eleição, garante a base.
“Ele (o deputado) tem o interesse de continuar dando assistência. A partir do momento que é votado, tem por obrigação de manter o seu trabalho em prol daquele município. Ele tem o interesse da reeleição, mostrar e levar recursos para a cidade e mostrar a população o que trouxe”, afirmou.
A Lei Orçamentária Anual, disponibilizada no site da Câmara dos Deputados, informa que para este ano de 2018, os doze parlamentares paraibanos destinaram mais de R$ 177 milhões para o Estado. Cada um, teve direito a apresentar e destinar cerca de R$ 14,7 milhões em recursos.
Confira abaixo as emendas apresentadas pelos deputados paraibanos em 2018:

Por Wallison Bezerra

Comente aqui com o Facebook: