Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

domingo, 21 de janeiro de 2018

Saiba o que é refluxo gastroesofágico e como evitar esse problema

A professora Acsia de Alencar sofria com uma dor de garganta recorrente. A quantidade de antibióticos que precisava tomar para tratar as crises repetitivas era algo que a preocupava. “Estava sempre em clínicas para tratar o problema”, lamentou. Até que em uma das consultas ao otorrinolaringologista, ela descobriu que estava com refluxo gastroesofágico.

Depois do tratamento e da adoção de hábitos mais saudáveis, a professora controlou os sintomas e ganhou qualidade de vida. “Há seis meses não tenho uma crise de garganta, nem sintomas do refluxo.
Tento manter uma dieta equilibrada, evito comer alimentos industrializados e gordurosos”, contou.

Mas, o que é exatamente o refluxo gastroesofágico? Trata-se do retorno involuntário do conteúdo do estômago para o esôfago, e em direção à boca. Esse processo agride a mucosa que reveste o esôfago, causando complicações à saúde.

Segundo o gastroenterologista José Nonato Fernandes Spinelli, médico cooperado da Unimed João Pessoa, os incômodos da Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) vão desde azia e rouquidão até dor torácica não cardíaca. “No idoso se observa uma incidência elevada de pneumonia de repetição por broncoaspiração”, explicou.

HÁBITOS E CONTROLE

O refluxo gastroesofágico pode surgir em qualquer idade, até em recém-nascidos. Apesar de, na maioria das vezes ser crônica, a doença pode ser controlada com uso da medicação correta, adoção de alimentação saudável e boa qualidade de vida.

José Nonato Spinelli disse que não existem precauções que impeçam o surgimento do refluxo. No entanto, alguns hábitos podem agravar ou até causar o aparecimento desse mal. O estresse, tão comum na sociedade atual, é um dos vilões. Outros fatores como, excesso de peso, consumo excessivo de álcool, fumo, alimentos gordurosos e condimentados podem agravar o refluxo.

Diante desta realidade, o especialista recomenda inserir na dieta diária alimentos naturais como legumes, hortaliças e frutas, além de tentar manter uma rotina equilibrada, longe de tensões e experiências emocionais negativas.

SINAIS DE ALERTA

De acordo com Spinelli essa é uma doença de curso benigno, individualizada, cujo tratamento visa controlar os sintomas e fundamentalmente proporcionar uma boa qualidade de vida ao paciente.

Existem alguns sinais de alerta que podem estar associados ao refluxo gastroesofágico. Eles geralmente aparecem de forma repetitiva. Veja os principais:

Azia com regurgitações;
Dor torácica não cardíaca;
Tosse crônica;
Laringite;
Asma;
Rouquidão;
Erosão dentária;
Sinusite;
Fibrose pulmonar;
Faringite;
Otite media recorrente.



Ascom

Comente aqui com o Facebook: