Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Polícia prende garota golpista que ostentava nas redes sociais

A estudante Ellen Cristina Abreu de Abreu, de 26 anos, foi presa na quarta-feira (28) suspeita de usar documentos falsos para adquirir um empréstimo de R$ 40 mil em nome de uma advogada. 

Segundo a Polícia Civil do estado do Amazonas-MA, nas redes sociais ela ostentava uma vida que não condizia com o seu poder aquisitivo. "Tenho direito de me divertir", disse ela. O delegado Marcos Paulo Graciano, titular do 24° Distrito Integrado de Polícia (DIP), disse que a jovem usou documentos falsos para obter o empréstimo e, em seguida, foi a uma agência bancária para transferir o valor.
O gerente do banco achou estranha a movimentação e entrou em contato com a advogada.

"A suspeita foi até uma agência bancária onde a advogada já tinha conta e tentou abrir uma conta corrente. O gerente questionou alguns fatos que ela não soube responder e, diante disso, comunicou à Polícia Militar, e ela foi conduzida para a delegacia. Nós verificamos que nas redes sociais ela posta fotos em festas, viagens e se diz estudante sem renda, então é um padrão não condizente com o nível salarial que ela afirma ter", explica o delegado Graciano.

Com a suspeita, a polícia encontrou RGs adulterados, comprovante de residência e extrato bancário da vítima. Ela foi localizada por volta das 16h de quarta.
Segundo a Polícia Civil, ela ainda usou o cartão de uma loja de departamentos da advogada e fez várias compras.

Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (29) a estudante negou os crimes. "Eu não sou estelionatária, eu só troquei a foto do documento. Vocês também viajam quando estão de férias, eu tenho direito de me divertir", alega a estudante.
A mulher disse não ter renda, mas não quis dizer como conseguia dinheiro para festas e viagens. Questionada sobre o empréstimo de R$ 40 mil em nome da advogada, ela disse que só falaria em juízo.

De acordo com a Polícia Civil, Ellen já foi presa outras duas vezes. Ela responde a um processo por estelionato cometido em 2008 junto com a mãe, e uma receptação de veículo em 2016.


O titular do 24º DIP disse que o caso será aprofundado para saber se ela tinha ajuda de outras pessoas para conseguir dados das vítimas e se faz parte de uma quadrilha. Ao término dos procedimentos na delegacia, ela será encaminhada para audiência de custódia.



Globo

Comente aqui com o Facebook: