Últimas Notícias

domingo, 2 de abril de 2017

Uma mãe salvou o assassino de sua filha, o motivo é surpreendente

Qual seria sua reação ao encontrar o homem que matou brutalmente a sua própria filha? O que você exigiria como punição? Faria justiça com as próprias mãos? Você provavelmente ficaria furioso(a) e adoraria ver o assassino sofrer uma dura pena, mesmo que seja pena de morte. Mas ao conhecer a história a seguir, você talvez mude de opinião.

A filha mais velha de Darlene Farah foi brutalmente assassinada por James Rhodes. A mulher de 50 anos chorou todos os dias por meses. Porém, surpreendentemente, lutou passou anos lutando para salvar a vida do assassino, que havia sido condena à pena de morte, nos Estados Unidos.

E o motivo para isso vai te surpreender!



Crime


A filha, chamada Shelby Farah, foi morta no dia 20 de julho de 2013. A jovem estava trabalhando como caixa de uma pequena loja de celulares, na cidade de Jacksonville, na Flórida, Estados Unidos. O assassino, James Rhodes entrou no local para roubar. Ele exigiu dinheiro. Shelby entregou todo o dinheiro do caixa, como ordenado. Mesmo assim, o assassino atirou nela 4 vezes. A jovem morreu na hora.

“Ele a matou como uma execução”, disse Darlene Farah, a mãe desolada. Ainda que Shelby tenha feito as exigências do assassino, ele se exaltou e a matou. Na época, o vídeo das câmeras de segurança mostraram algo muito peculiar. James parecia gritar com Shelby, e isso intrigou Darlene. Ela passou a se tornar obcecada com a pessoa que tirou a vida da sua filha.

“Eu fiquei tão obcecada pelo sujeito que nem tive tempo de entrar em luto pela Shelby; eu queria entender o por que”, disse Darlene. Ela contratou um detetive particular para investigar a vida de James. E o que ela descobriu fez ela deixar sua busca por vingança de lado e lutar em defesa da vida do assassino.

Passado de James


O detetive descobriu que James nasceu em um família viciada em drogas, cheio de criminosos e que o neglicenciavam. Quando ele tinha apenas 8 meses de idade, sua mãe (que era viciada em drogas) o abandonou. Ele passou a viver com o pai, que era viciado em álcool e drogas, além de ter problemas judiciais e ser foragido da justiça. Ele nunca conhecer o que era Amor familiar, e sempre viveu daquele jeito.

Aos 9 anos, James foi abusado sexualmente por um adolescente que morava na sua casa, e depois por um homem mais velho. Ele havia sido preso 3 meses antes de ter cometido o assassinato de Shelby.

Pena

Devido a sua ficha criminal, James foi sentenciado à pena de morte, punição permitida no estado da Flórida.

“Os Estados Unidos fizeram dele o que ele é hoje”, disse Darlene. “Ele também é uma vítima. Eu tenho pena dele. Eu o perdoei há muito tempo. Não gostava de como eu me sentia por ficar brava com ele”.

O pedido de Darlene acabou sendo atendido. A pena de morte foi retirada da sentença de James. “Matar ele não vai trazer minha filha de volta. Só vai continuar um ciclo de violência e criar novas vítimas”.

Apesar disso, os promotores discordaram da opinião de Darlene. Foi quando a notícia sobre a mãe que queria salvar o assassino de sua filha se espalhou pelo mundo. Ela chegou até mesmo a depor à favor do assassino.

Finalmente, o julgamento final foi realizado. James foi condenado a duas penas de prisão perpétua, mais 20 anos (por mais maluco que isso possa parecer). Em outras palavras, ele vai passar a vida toda na prisão, sem possibilidade de condicional ou recurso.




E então, leitor(a), o que achou dessa história? O que achou da atitude da mãe? teria feito a mesma coisa? Qual deveria ser a pena de James? Deixe seu comentário!




por Lucas Fenrir

Comente aqui com o Facebook: