Últimas Notícias

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Empresas de coleta de lixo faturam R$ 2,5 milhões em dois meses na gestão Emerson Panta

O prefeito de Santa Rita, Emerson Panta (PSDB), está sendo acusado de pagar coleta de lixo a peso de ouro na cidade. 

Levantamentos feitos em documentos do Portal da Transparência  apontam o prefeito gastou,  só entre 05 de janeiro até 28 de fevereir, R$ 2.676.777,12 (dois milhões seiscentos e setenta e seis mil setecentos e setenta e sete reais e doze centavos), com coleta de lixo,  quase R$ 500 mil a mais do que rege o contrato 001/2017, sem licitação, oriundo do decreto de calamidade pública e financeira  do gestor no começo do ano.


Para o serviço, foram contratadas as empresas SERVICOL –  Serviços de Coleta e Construções Ltda e a GEO Limpeza urbana Ltda por um período de seis meses, sendo que cada uma receberia o  valor de R$ 599 mil  por mês.

Os primeiros pagamentos começaram a ser realizados em Janeiro. O que chama a atenção, é que nesse período, a cidade estava sendo atendida por maquinas e profissionais da Enlur, autarquia pública de João Pessoa, após assinatura de termo de cooperação entre Panta o prefeito Luciano Cartaxo (PSD).

Confira as datas datas e valores dos primeiros pagamentos

 -GEO URBANA R$ 331.232,06 – 05/01 a 15/01/2017 – Data de pagamento: 30/01/2017

– GEO URBANA R$ 479.532,74 – 16/01 a 31/01/2017 – Data de pagamento: 09/02/2017

– SERVICOL R$ 415.504,69 – 05/01 a 15/01/2017 – Data de pagamento: 31/01/2017

– SERVICOL R$ 500.928,46 – 16/01 a 31/01/2017 – Data de pagamento: 08/02/2017

Só em janeiro deste ano, Emerson Panta, apesar da ajuda da Emlur, pagou R$ 1.727.197,95 (um milhão setecentos e vinte e sete mil cento e noventa e sete reais e noventa e cinco centavos), ou seja, superfaturamento de quase 50% em relação ao valor do contrato sem licitação, que gira em torno de R$ 1,2 milhão/mês, com a presença das máquinas da autarquia pessoense.

Outro fato que chamam a atenção, a Servicol não aparece em nenhum pagamento de serviços  realizados no mês de fevereiro, mas  mesmo assim .continua realizando  os serviços de coleta na sua área contratada.

Outra empresa, a  FOXX URE-JP AMBIENTAL S/A, já  recebeu da Prefeitura de Santa Rita o valor de 248.195,68, pagos no dia 07/03/2017, mesmo sem aparecer em nenhum contrato com a edilidade.

A média mensal de pagamento pela coleta entre 2013 e 2015, em Santa Rita, girou em torno de R$ 1,5 milhão. Os contratos feitos por Panta sem licitação chegam aos R$ 6 milhões em apenas seis meses ou R$ 1,2 milhão/mês. Foi gasto quase a metade do previsto em apenas dois meses e o  dobro do previsto para janeiro.




Paraíba News

Comente aqui com o Facebook: