Últimas Notícias

Veja as Manchetes!

domingo, 2 de abril de 2017

Associação de Nutrologia diz que não há garantias de que óleo de coco emagrece

Apesar de o óleo de coco ter se tornado uma promessa de emagrecimento rápido, proteção do sistema imunológico, melhora da função cerebral e redução dos riscos de doenças neuro-degenerativas, a Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN)afirmou que estes benefícios não são cientificamente comprovados. A associação se posicionou na última semana em relação ao assunto.

Além de descartar os benefícios para a saúde e para a perda de peso, que ainda não foram cientificamente comprovados, os especialistas alertam ainda para um risco: o consumo do óleo de coco pode provocar problemas cardiovasculares.
“Quando comparado a óleos vegetais pouco ricos em ácido graxo saturado, uma recente revisão mostrou que ele aumenta o colesterol total”, alertou a ABRAN.

A falta de evidências clínicas faz com que seja descartada qualquer atividade antibacteriana, antifúngica, antiviral e imunomoduladora, assim como qualquer efeito sobre a função cerebral de indivíduos saudáveis ou portadores de alteração cognitiva. “Todos os estudos são predominantemente experimentais, sem evidências suficiente.” Dito isso, esqueça qualquer orientação de que o óleo de coco pode atuar no Alzheimer, por exemplo.

O comunicado oficial descreve ainda como controversos ao baixo número de estudos que relacionam o óleo de coco ao peso corporal de seres humanos. Tanto por conta da pequena amostragem de pessoas avaliadas, quanto pela ausência de precisão quanto à quantidade usada da substância pelos participantes.

“No geral, não existem evidências suficientes para concluir que o consumo de óleo de coco leva à redução da adiposidade.” Um estudo observacional de populações de ilhas do Pacífico que consomem grandes quantidades de coco, aliás, revelou que eles eram mais pesados.




ClickPB

Comente aqui com o Facebook: